04/08/2016 às 13h56min - Atualizada em 04/08/2016 às 13h56min

O que houve com a cadeia do leite brasileiro?

Alysson Christian

É notório que a cadeia do leite no Brasil tem passado por dificuldades em cada elo da mesma. Desde o campo, no qual o desânimo dos produtores os fazem mudar de ramo à cada dia, passando pela indústria, esmagada por políticas e leis falhas, que em maioria beneficiam poucos ou apenas grandes empresas multinacionais. E o que dizer do comércio, onde os preços se apresentam como verdadeiros vilões do baixo consumo? E quanto aos pequenos e médios laticínios, espalhados por todo esse imenso chão brasileiro? Abandonados e sucateados, sem esperança nem motivação, lutando como nunca se viu, cheios de demandas.

E por favor, não respondam minha pergunta-título culpando apenas a crise. Não amigos, nossos problemas vêm de longe. Vêm de anos atrás, literalmente da época da "vaca gorda", quando o potencial produtivo atraiu tanta gente, entre boas e outras nem tanto, surgiam também os interesses.

Pense na época que  existiam muito mais pequenos produtores, existia comida para o gado, industrias se fortaleciam. O que houve de lá para cá?

Antigamente, no mercado, encontrávamos ainda produtos "puros", com sabor verdadeiramente lácteo, não essa farofa de amidos e leites modificados que existe hoje com o apelo de baratear custos produtivos excessivos.

O pobre consumidor, em maioria leigo, compra essa idéia e se vê cada dia mais sem opção. E a qualidade?

Há muito não existem mais políticas de incentivo, auxílios funcionais e  reguladores adequados à esse importante setor produtivo do nosso pais.

Parece, por sua vez, que falta a organização aos atores deste cenário, tão complexo. Talvez falte representatividade adequada. E mais uma vez alguns questionam: "E quanto às associações e sindicatos?" Bem, essa pergunta eu realmente não saberia responder. E não me envergonho! Não sei o motivo pelo qual essas organizações são tão neutras e sem força. Talvez seja porque elas se corrompem, talvez porque elas sejam engolidas pela política. E falo sobre a politicalha, o ato de fazer política em benefício de poucos, verdadeiros experientes na arte da formação de opinião visando o engodo do cidadão!

Mas como eu disse, talvez...

E se precisássemos nos adaptar novamente? Parece que o mundo está mudando, reflitam: governos caem, escândalos cada vez mais absurdos são trazidos à público, desmascarando renomados  e poderosos, diria "quase intocáveis" governantes.  Mas podem ser sim freados. Acompanhamos a tudo atônitos. Associações que funcionam ímpares aos objetivos do todo, sindicatos sem representatividade e que chegam ao absurdo de esmagar seus próprios sindicalistas!

Usei tantos "talvez" e mais uma vez, não me envergonho de não portar a verdade absoluta, mas estamos certos de que assim não dá mais. Isso é fato.

Será que talvez seja necessário uma nova forma de pensarmos em organização? E somos fortes! Precisamos voltar no tempo e buscar o que perdemos. E então, quem sabe assim, possamos mostrar o real potencial produtivo de nosso amado e desgastado país: o Brasil Leiteiro de outrora!

Alysson Christian - Técnico em Leite e Derivados formado pelo Instituto de Laticínios Cândido Tostes/EPAMIG. Juiz de Fora - MG


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »