21/12/2013 às 08h53min - Atualizada em 21/12/2013 às 08h53min

Riqueza na Alimentação

Microminerais são aliados na busca pela qualidade do leite e melhoram a saúde e a reprodução do animal.

Ao minerais, divididos em macro e microminerais, têm papel fundamental na nutrição, com reflexos positivos na qualidade do leite e no desempenho animal. Os microminerais, embora requeridos em menores quantidades pelos animais (mg∕kg), desempenham importantes funções metabólicas no organismo, principalmente na participação de diversas reações químicas, síntese de hormônios e componente estrutural. 

Por serem elementos não sintetizados pelo organismo, os microminerais devem ser fornecidos através da alimentação, por meio da suplementação mineral. Os principais microminerais que devem ser incluídos na dieta de bovinos de leite são cobre, cobalto, zinco, manganês, iodo, selênio, flúor e cromo. As deficiências de microminerais não são de fácil diagnóstico, haja vista a inexistência de sinais clínicos característicos, além das interações com outros microminerais, com reflexos nos baixos índices produtivos e reprodutivos.

A ação antioxidante dos microminerais possibilita benefícios relacionados à produção e à reprodução do animal. A falta de microminerais como manganês, cobre, iodo, zinco e selênio influencia negativamente o desempenho reprodutivo. Eles também mantêm a integridade dos tecidos, protegendo as células contra danos oxidativos e contribuindo, assim, para o aumento as imunidade dos animais, com consequente redução da incidência de doenças como a mastite, o que resulta na queda da Contagem de Células Somáticas (CCS) no leite, contribuindo para melhor remuneração do produtor.

Além disso, a suplementação mineral adequada previne outros problemas que impactam significativamente o desempenho dos animais, como anestro, repetição de cios, retenção de placenta, descalcificações e problemas de casco.

Cuidados com a alimentação.

Os microminerais estão em quantidades variáveis nos alimentos e, geralmente, não atendem aos requisitos nutricionais dos animais,. Sendo assim, é necessário suplementar a dieta, seja oferecendo a mistura mineral separada ou adicionada ao concentrado. A inclusão de microminerais na dieta dos animais, de modo geral, não implica em aumento significativo no custo de produção. 

O produtor precisa estar atento às orientações de especialistas para que seja formulada uma dieta balanceada, eficiente do ponto de vista nutricional e econômico.

Alguns fatores importantes devem ser considerados para que a suplementação mineral seja eficiente, principalmente em condição de pastejo. Um dos erros mais comuns refere-se à mistura do suplemento mineral pronto para uso com o sal comum, o que reduz a ingestão dos minerais previamente balanceados no suplemento mineral. Outros pontos importantes a serem observados estão relacionados à falta de acesso ao cocho (espaço insuficiente, hierarquia), à localização dos cochos, à cobertura e à altura dos cochos e à oferta do suplemento(disponibilidade constante e em quantidade suficiente para a ingestão diária recomendada).

A utilização dos microminerais é mais comum em novilhos e vacas em lactação, não sendo muito usual em bezerros. A quantidade estabelecida na dieta deve considerar as características do pasto (massa de forragem oferta e composição química), da região, a categoria animal, o estádio fisiológico e o nível de produção. O emprego de microminerais na alimentação do gado deve ser feito com a supervisão de um nutricionista e utilizando produtos de marcas idôneas e de referência no mercado. 

 

*Zootecnista e pesquisador da Empresa Brasileira de pesquisa Agropecuária (Embrapa)




Autor: Mirton José Frota Morenz

Referências bibliográficas: 

O autor é zootecnista e pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »