30/04/2022 às 10h00min - Atualizada em 30/04/2022 às 10h00min

Via Láctea Mini Usina de Leite da EPAMIG/Cândido Tostes - 21 anos de sucesso.

Um projeto de Transferência e Difusão de Tecnologia

A evolução tecnológica ocorrida no século passado transformou consideravelmente a sociedade, as organizações e a forma de comunicação destas com seus clientes e usuários. Estas mudanças, associadas a outras ocorridas na forma de gestão, na evolução da ciência e tecnologia mundial, provocaram grandes alterações em relação aos modelos de geração, difusão e transferência de tecnologias, em particular, os desenvolvidos pelos Institutos de Pesquisa com foco no desenvolvimento tecnológico voltado para a indústria. Em 2001, o Professor e técnico em laticínios Nelson Tenchini, juntamente com o também técnico do Núcleo Industrial da Fábrica  da EPAMIG/ILCT, Renato Vieira e o eletricista José Geraldo Vieira Lopes, da EPAMIG/ILCT desenvolveram um projeto itinerante, denominado “Via Láctea Miniusina” com o objetivo de difundir as tecnologias geradas ou adaptadas pela EPAMIG/ILCT com maiores possibilidades de utilização, com custo acessível, e  métodos de fácil aplicação e adoção. O nome Via Láctea foi uma sugestão da também funcionária da EPAMIG, Sonia Maria Borges, grande colaboradora do projeto. A partir de 2005, ele passou a ser coordenado por Luiza Carvalhaes de Albuquerque, técnica em laticínios e na data Coordenadora de Transferência e Difusão de Tecnologia do Instituto de Laticínios Cândido Tostes. Também conta com a participação do Professor Luiz Carlos Ferreira e dos funcionários do setor industrial Francisco José Fávero, José da Cunha Ricardo, entre outros. O público alvo do Projeto inclui empresas, profissionais e a sociedade pelo fato da inovação tecnológica no setor laticinista ser um instrumento facilitador do desenvolvimento econômico regional e nacional.

 
Apresentação do Projeto Via Láctea

O Projeto é apresentado em simpósios, seminários, congressos, e em eventos de divulgação técnico-científica para técnicos e pesquisadores de ciências agrárias, e em exposições, feiras, dias de campo, vitrines, treinamentos, cursos, palestras para produtores e sociedade. Essa iniciativa faz parte da área de difusão e transferência de tecnologia da EPAMIG, que faz o elo entre a área de pesquisa e desenvolvimento da empresa e possibilita maior poder de competição em mercados cada vez mais exigentes. Uma característica peculiar do Projeto é oferecer aos usuários a oportunidade de conhecer e acessar um modelo de Miniusina em funcionamento, o que permite a demonstração dos processos de produção de leite e derivados, e a apresentação das inovações tecnológicas de produtos, serviços, instalações, máquinas e equipamentos relacionados ao setor lácteo.
                                    
Via Láctea Mini Usina de Leite

A “Via Láctea Mini Usina” possui capacidade de processamento de 500 litros de leite por dia e é montada com fórmica e vidro de forma a permitir o acompanhamento de todo o processo pelo visitante. Assim, durante a exposição, o beneficiamento de leite é demonstrado desde a sua recepção, incluindo os processos de pasteurização, fabricação de queijo frescal, mussarela, iogurte, bebida láctea até a realização de análises laboratoriais para o controle da qualidade dos produtos. Além disso, são oferecidos cursos práticos de fabricação de queijos, leite aromatizado, iogurte e outros. O acompanhamento dos processos dá uma idéia do funcionamento de uma indústria e de seus equipamentos. A possibilidade de fabricação de produtos lácteos em pequena escala dentro dos padrões de qualidade é um outro aspecto importante repassado ao público alvo. Ao término da produção, os operadores da “Via Láctea Mini usina” prestam informações aos visitantes sobre como produzir, fornecedores de equipamentos, higienização, qualidade e outras dúvidas relativas ao processo. 
Os lácteos produzidos ficam para distribuição simultânea e gratuita após o processo de fabricação, o que possibilita aos visitantes a observação de características de qualidade do produto final. 
 

A empresa Rica Nata faz parte deste projeto como fornecedora de ingredientes para produção dos lácteos durante os eventos. O Site Ciência do Leite participa com a confeccção e distribuição dos cadernos com as tecnologias ensinadas no projeto. Também já demos palestras durante as exposições que participamos. A Rica Nata e o Ciência do leite estarão sempre apoiando e incentivando os projetos como a Via Láctea que tem como principal objetivo divulgar a cadeia do leite e seus derivados. Estaremos sempre ao lado do Instituto de Laticínios Cândido Tostes.

Saudações Laticinistas

Marco Antônio Cruvinel de Lemos Couto
Diretor Técnico e Administrativo.

 

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »