27/04/2022 às 10h14min - Atualizada em 27/04/2022 às 10h14min

Faturamento da Frísia cresce mais de 40% e passa de R$ 5,2 bilhões

A Frísia conquistou em 2021 o maior faturamento da sua história, totalizando R$ 5,2 bilhões, 40,1% maior que os R$ 3,7 bilhões apresentados no ano anterior. A cooperativa, que é a mais antiga em produção do Paraná e segunda do Brasil, é referência em produção agroindustrial com atuação nos segmentos de pecuária leiteira, agrícola, florestal e suinícola. O anúncio dos números aconteceu no último sábado (26), na Assembleia Geral Ordinária (AGO) realizada no Parque de Exposições Frísia, anexo ao Parque Histórico de Carambeí (PR).

Fundada em 1925, a cooperativa tem 971 cooperados presentes nos Estados do Paraná e no Tocantins, que produziram no último ano 290,6 milhões de litros de leite, 895 mil toneladas de grãos, 89 mil toneladas de madeira e mais de 30 mil toneladas de carne suína. 

“Temos uma avaliação positiva sobre o exercício de 2021, por alcançar números importantes para a Frísia. Traz para a cooperativa uma capitalização e para os cooperados uma distribuição de resultados que, com certeza, faz com que a Frísia tenha um crescimento em seu patrimônio líquido. Sabemos que uma empresa capitalizada faz com que consigamos ser mais competitivos. Estamos felizes com o resultado alcançado, foi um esforço não somente dos nossos cooperados, mas do time interno da Frísia”, afirma o presidente Renato Greidanus.

Ele destaca ainda a rentabilidade obtida na cadeia produtiva, o que inclui a agroindustrialização pelo sistema de intercooperação com a marca Unium (que envolve cooperativas coirmãs).

Produção elevada

O segmento de leite, apesar da alta no custo de produção, teve crescimento na cooperativa de 2,87% comparado ao ano anterior. Nos suínos, houve uma variação de 2020 para 2021 na margem líquida (queda de quase um terço por cabeça) devido à normalização do mercado chinês, que superou a peste suína africana ocorrida em 2020 e a alta no preço das commodities no segundo semestre do ano passado. 

Em relação ao setor agrícola, a soja foi o carro-chefe na produção dos cooperados, que também atuaram com milho, feijão, cevada, aveia e trigo, cultivos que tiveram uma boa rentabilidade. No Tocantins, houve aumento muito representativo no cultivo da soja, como consequência da evolução das áreas e da consolidação do modelo de negócios da Frísia no Estado.

Já com florestas, houve crescimento tanto para absorver a produção para consumo interno da madeira e seus derivados quanto para comercialização da produção excedente dos cooperados para terceiros. O volume saltou de 75 mil toneladas (2020) para 89 mil no ano passado.

Marcas e novos investimentos

A Frísia conta com as marcas próprias Rações Batavo, Sementes Batavo, Florestal Frísia, as feiras Digital Agro e ExpoFrísia e o TRR Frísia, voltada à comercialização de combustíveis. Já pelo sistema de intercooperação Unium tem o Moinho de Trigo (farinhas Herança Holandesa e Precisa), a Unidade Industrial de Carnes (Alegra), as Unidades de Beneficiamento de Leite (Colônia Holandesa, Naturalle e Colaso) e Energik (usina de bioenergia). Está em fase de construção a unidade da Maltaria e também uma Queijaria anexa à Unidade de Beneficiamento de Leite (UBL), ambos em Ponta Grossa (PR).

Rumo aos 100 Anos

Em 2021, teve início o Planejamento Estratégico da Frísia “Rumo aos 100 anos”, que consiste em um conjunto de ações táticas e estratégicas para atingir o crescimento dos negócios de forma estruturada para gerar rentabilidade e valor aos cooperados. O ciclo tem conclusão em 2025, ano que a cooperativa completa um século.

“Temos um planejamento estratégico que está sempre em ebulição, um Conselho de Administração que vai auxiliar a cooperativa a continuar crescendo e uma equipe capacitada na Superintendência para fazer a execução do plano. O cooperado terá o benefício disso, com sustentabilidade na cadeia”, conclui Greidanus.

Fonte: Frísia Cooperativa Agroindustrial


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »