28/02/2017 às 10h02min - Atualizada em 28/02/2017 às 10h02min

Geraleite busca aumentar produção de leite na Bahia

Projeto do Sebrae tem como objetivo elevar produtividade de fazendas do estado, que detém o terceiro maior rebanho de vacas leiteiras do Brasil

Grande potencial e pouca produção levaram o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) na Bahia a trabalhar com foco na gestão junto a produtores de leite. O estado detém o terceiro maior rebanho de vacas leiteiras do Brasil. Perde apenas para Minas Gerais e Goiás. No entanto, contribui com apenas 3,45% do leite produzido no país. 

Para mudar esse quadro, foi criado o Geraleite, parceria do sistema Faeb/Senar (Federação da Agricultura do Estado da Bahia e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) com a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) e o Sebrae. O projeto é voltado aos grupos de propriedades leiteiras ligadas a uma agroindústria. “O Geraleite atua em toda a cadeia produtiva, desde o insumo, passando pela produção, até a indústria”, explica Luiz Sande, gerente da Faeb/Senar. 

Desconhecimento da utilização de tecnologia de produção, falta de especialização de mão de obra e uso inadequado de recursos naturais são algumas das principais razões da baixa produtividade da bovinocultura leiteira da Bahia. O projeto Geraleite foi inspirado nas experiências de Minas Gerais e do Rio de Janeiro. “Em Minas, conhecemos o Educampo, e no Rio, visitamos o Balde Cheio. Assim, descobrimos que a Bahia queria mais, pois a nossa proposta é capacitar o produtor para que ele mesmo perceba a viabilidade do seu próprio negócio”, explica Fernandes. 

O projeto já alcança 71 municípios baianos e 368 produtores. O atendimento aos produtores é sempre feito por meio de cooperativas. Erivaldo Carlos, que integra a Associação dos Produtores de Leite do Vale dos Rios das Contas de Ipiaú (Aproleite), no sudoeste da Bahia, participa do Geraleite e recebe capacitações nas áreas de gestão, controle de custos e financeira, além de assistência técnica para aumentar a produção de leite. 

Segundo Erivaldo, que está há mais de dois anos no projeto, no início sua produção era de apenas 35 litros de leite por dia e hoje são 150 litros. “Tenho todo o acompanhamento financeiro e o meu plano é aumentar a produção para 300 litros por dia”, adianta.

Fonte: Globo Rural Online, com informações da Agência Sebrae


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »