12/02/2017 às 13h45min - Atualizada em 12/02/2017 às 13h45min

Setor leiteiro inova para atender demanda por leite não alergênico

É o caso do leite não alergênico, oriundo de rebanhos composto por touros e vacas que carregam a proteína A2 em seu DNA. Estima-se que 6% da população mundial seja alérgica à proteína beta-caseína A1, que está relacionada a uma série de reações alérgicas em humanos.

No Brasil, alguns laticínios começam a disponibilizar no mercado o leite A2. Isso vem sendo possível graças ao trabalho de seleção genética desenvolvido nas propriedades brasileiras para identificar reprodutores com o alelo A2. De olho nesse nicho de mercado, as empresas de genética passaram a disponibilizar essa informação em seus catálogos de touros. Na central de inseminação Semex Brasil, a novidade da bateria de 2017 de animais zebuínos é a indicação de quais são positivos para a proteína. “Os touros com o selo A2 são geneticamente testados por meio de seu DNA, portanto, garantem com total segurança a transmissão do alelo A2 para a progênie. O mercado mostra com clareza que há demanda por esse tipo de animal, para atender uma parcela da população que é alérgica ao leite com a proteína A1. Outra vantagem é que esse tipo de leite tem maior teor de gordura, proteína e rendimento superior nos processos industriais.” informa Christian Milani Resende, gerente de Produto Leite Tropical da Semex Brasil.

Estudos desenvolvidos por instituições brasileiras, como por exemplo a APTA (Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios), vêm comprovando que as raças zebuínas têm grande presença do alelo A2.

Qualidade genética comprovada - Além de trazer animais que atendem a determinados nichos de mercado, o Catálogo de Leite Nacional 2017 da Semex apresenta informações importantes para auxiliar o produtor rural a utilizar animais capazes de elevar a produção e a qualidade do leite em suas propriedades. Este ano a bateria de touros nacionais conta com série de animais classificados entre os primeiros colocados dos sumários dos programas de melhoramento genético das raças Girolando e Gir Leiteiro, o PMGG e o PNMGL.

Entre os destaques está Thor FIV da Prata JAC 5/8, animal líder do Grupo 2016 do PMGG. "Esse é um reprodutor que tem produzido matrizes de muita qualidade, destaque para o refinamento leiteiro, profundidade, excelentes úberes e muita produtividade, não é à toa que se classificou como o líder do Grupo 2016 PMGG", afirma Milani. Thor 5/8 vem de uma família de animais de grande produção. Ele é filho de uma das matrizes 1/4 mais importantes do cenário nacional, a vaca Harmonia Terra Vermelha (8.631 kg). Já sua avó materna foi a Grande Campeã Nacional 2007 e Campeã do Torneio Leiteiro da Megaleite (a principal exposição da raça), com uma produção média de 76,85kg/leite.

Outro touro leiteiro que chama atenção pela consistência de sua família é Atleta, filho do premiado reprodutor Sansão. "Os resultados desse reprodutor demostram toda a sua qualidade. Um exemplo é sua filha Ética, que foi Res. Campeã Fêmea Jovem do Torneio Leiteiro e na pista, na Expoagro Franca 2015produzindo mais de 29 Kg/dia", relatou Christian.

O Catálogo de Leite Nacional 2017 pode ser acessado pelo link: https://goo.gl/DsK2cb

Fonte: Grupo Publique


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »