22/07/2013 às 12h41min - Atualizada em 22/07/2013 às 12h41min

Incentivos do programa Rio Leite beneficiam produtores do município do Carmo

Governo do Rio de Janeiro

Os investimentos do governo do estado, através da secretaria estadual de Agricultura e Pecuária, para incrementar a produção leiteira já mostram resultados sólidos em várias regiões do estado. Na serrana, por exemplo, os incentivos fiscais do Programa Rio Leite já beneficiaram várias cooperativas, entre elas, a Cooperativa Agropecuária do Carmo, que funciona há quase 70 anos e atualmente conta com 40 membros.

Com capacidade industrial instalada para cinco mil litros de leite por dia, a cooperativa tem uma linha de produção que inclui leite tipo “barriga mole” (padronizado e desnatado), doce de leite pastoso, requeijão (em tablete e cremoso), queijo minas frescal, manteiga e três sabores de bebida láctea, todos com a marca Relógio. A produção é comercializada em nove municípios das regiões serrana e centro-sul fluminense.

A lei estadual 5703, em vigor desde 2010, permite a transação de créditos de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) entre integrantes da cadeia produtiva do leite e empresas, mediante a transferência destes recursos aos produtores e suas cooperativas.

Na cooperativa do Carmo, o primeiro projeto técnico para utilização dos créditos de ICMS teve como foco a execução de melhorias na linha de produção. O primeiro repasse, no ano passado, foi de R$ 260 mil, utilizados para a aquisição de um caminhão de coleta, dois novos tanques de resfriamento e na reforma do caminhão de entrega de ração.

Um segundo projeto, no valor de R$ 1,8 milhão, recebeu em março deste ano a primeira parcela de repasse. De acordo com a diretora comercial da cooperativa, Maria do Carmo Passos, a verba será fundamental para melhorar a infraestrutura física e adquirir novo maquinário, equipamentos e veículos.

- A cooperativa passou por um período muito difícil. Hoje, com a casa toda em ordem, nossa meta é crescer. Em curto prazo, queremos ampliar nossa capacidade produtiva para oferecer outros derivados - explica a dirigente, que pretende investir também na aquisição de matrizes para promover o melhoramento genético do rebanho.

O médico veterinário e supervisor da Emater-Rio no Carmo, Luiz Marcos Soeiro de Barros, destaca que a empresa de extensão rural, ligada à secretaria estadual de Agricultura, e a cooperativa possuem um histórico de trabalhos em parceria.

- A Emater-Rio prestou auxílio na elaboração dos dois projetos do ICMS - disse.

Incentivo à produção
Atualmente, a produção estadual de leite é de 610 milhões de litros/ano e se concentra, principalmente, em pequenas propriedades, de até 90 hectares. Considerado um dos maiores mercados do país, o estado do Rio consome cerca de 2,6 bilhões de litros de leite por ano, número que pode ultrapassar os três bilhões de litros, se considerado o consumo de derivados.

O programa Rio Rural estimula a prática de oito técnicas que visam o desenvolvimento da bovinocultura leiteira, como uso de tanque de resfriamento, plantio de cana forrageira para alimentação do rebanho, implantação de sistema de pastoreio rotacionado, ordenha mecânica, controle de parasitas e zoonoses, entre outros.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »