20/10/2012 às 16h08min - Atualizada em 20/10/2012 às 16h08min

Espírito Santo bate recorde de produção de leite de vaca

Governo do Espírito Santo

A produção de leite de vaca ultrapassou a marca história de 437 milhões de litros registrada em 2007. De acordo com o relatório recente apresentado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2011, o rebanho bovino capixaba produziu 451,3 milhões de litros. A produção cresceu 3% em relação ao ano anterior. O aumento gradativo vem ocorrendo em sequência nos últimos quatro anos e a produção atual gerou R$ 341 milhões de faturamento para os produtores. 

“A ampliação da produção de leite no Espírito Santo decorre da utilização de tecnologias pelos agricultores como inseminação artificial, adubação e irrigação de pastagens, além da melhoria do padrão genético dos animais, o que é estratégico para o meio rural. Com isso, a produção de leite aumenta, os custos unitários de produção de leite são reduzidos, melhora a renda dos produtores e sobra área para promovermos a recuperação ambiental no campo”, destaca o secretário de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), Enio Bergoli. 

Atualmente, o rebanho bovino capixaba possui 2,2 milhões de animais, destinados à pecuária de corte e de leite e cerca de 300 mil desses animais são de vacas destinadas à ordenha. Diariamente, os 17 mil pecuaristas que investem na atividade ordenham 1,24 milhão de litros dos animais. 

Os municípios que mais produzem leite são Ecoporanga, Linhares, Colatina, Alegre, Barra de São Francisco, Presidente Kennedy, Nova Venécia, Baixo Guandu, Cachoeiro de Itapemirim e, devido aos incrementos tecnológicos adotados nos últimos tempos e as condições climáticas favoráveis registradas em 2012, há expectativa de que a produção neste ano ultrapasse os 470 milhões de litros em todo o Espírito Santo. 

“Só se sustentará no mercado quem elevar o nível de produtividade, reduzir os custos de produção e ofertar produtos com a qualidade requerida pelo mercado, cada vez mais exigente. No momento, ainda temos adicionais de preços para produtos de melhor qualidade, mas, num futuro não muito distante, isso pode significar a permanência dos pecuaristas na atividade”, afirma Enio Bergoli. 

Nos últimos anos, os investimentos do Governo do Espírito Santo para o fortalecimento da pecuária chegaram a todas as regiões do Estado, por intermédio da Seag e instituições parceiras. 

Com recursos na ordem de R$ 6 milhões foi possível garantir ampliação de infraestrutura e capacitação de bovinocultores, principalmente com a implantação de núcleos de inseminação artificial, treinamento de inseminadores, repasse de sêmen bovino para melhoramento genético do rebanho, implantação do laboratório de qualidade do leite, repasse de tanques comunitários de resfriamento de leite, reforço na campanha para erradicação da brucelose e ampliação da técnica de pastejo rotacionado nas propriedades.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »