18/09/2011 às 13h22min - Atualizada em 18/09/2011 às 13h22min

Estado lança Programa Leite Gaúcho em Erechim

Emater/RS

O Programa Estadual Leite Gaúcho foi lançado oficialmente em Erechim, no auditório da Universidade Federal Fronteira Sul. O ato reuniu prefeitos, vice-prefeitos das regiões Alto Uruguai e Nordeste, secretários municipais da agricultura, lideranças locais e regionais, além do deputado Altemir Tortelli, representando a Assembléia Legislativa. Também prestigiaram o lançamento, o coordenador do Sutraf Sul, Celso Ludwig, e o diretor da Universidade Federal da Fronteira Sul, Dirceu Benincá. 

O secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Ivar Pavan, juntamente com o diretor do Departamento de Agricultura Familiar, José Batista, e com o presidente da Emater/RS, Lino de David, apresentou o programa. Segundo ele, o objetivo é aumentar a produção e melhorar a qualidade do leite nos estabelecimentos rurais de base familiar. 

De acordo com Pavan, a meta é qualificar, por meio de assistência técnica prestada pela Emater/RS-Ascar, mil grupos de 30 famílias na bacia leiteira do Rio Grande do Sul. O presidente da Emater/RS, Lino de David, garantiu que a extensão rural será realizada de forma permanente e conjunta. “Os produtores serão capacitados e terão acompanhamento sistemático”, reafirmou. 

O Rio Grande do Sul tem um potencial para aumentar a produção de leite e passar dos atuais 9,5 milhões de litros/dia para 14 milhões de litros/dia. A indústria gaúcha tem 40% de ociosidade, segundo informaram os dirigentes. O programa atenderá agricultores familiares, quilombolas, assentados da reforma agrária e do crédito fundiário, pecuaristas familiares, atuais produtores de leite, novos produtores e moradores do meio rural em situação de extrema pobreza. O secretário Ivar Pavan defendeu a criação de uma indústria na região. “Precisamos de uma indústria das cooperativas para o leite na região”, disse. 

O deputado estadual Altemair Tortelli também destacou a importância da atividade leiteira para a agricultura familiar “O leite é a última atividade de permanência do agricultor no campo”. Para o presidente da Associação dos Municípios do Alto Uruguai, Gilberto Tonello, “o produtor precisa ser melhor remunerado”. 

Dados 
O Rio Grande do Sul é o segundo maior produtor de leite do país, com produção de 9,5 milhões de litros dia, o que representa 12% da produção nacional. Mas o número ainda está muito abaixo da capacidade da indústria, que é de 16 milhões de litros/dia. 

De acordo com o Censo Agropecuário de 2006, no Brasil a produção média de cada vaca é de 1.260 litros/ano. No Rio Grande do Sul, a produtividade é uma das melhores do país, chegando a 2.336 litros/ano. Dos 441 mil estabelecimentos rurais, 134 mil são produtores de leite, sendo que 70% deles comercializam menos de 100 litros/dia, tornando umas das principais atividades da agricultura familiar. 

Treinamento 
O Programa Leite Gaúcho é mais uma das políticas adotadas pelo governo, através da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, que integra um conjunto de programas para o desenvolvimento da agricultura familiar gaúcha. 

Com o Programa estão previstos treinamentos para os produtores na área de pastagens, orientações sobre sanidade animal e manejo adequado para a produção do leite, sempre visando a qualificação da produção. “São ações de governo que visam preparar o agricultor para um novo futuro no ramo da produção leiteira no Rio Grande do Sul”, esclarece o secretário Ivar Pavan.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »