21/12/2013 às 09h26min - Atualizada em 21/12/2013 às 09h26min

Boas Práticas Ambientais

Até pouco tempo atrás as empresas não se preocupavam com as questões ambientais uma vez que os resíduos gerados eram despejados na água, no ar ou no solo sem nenhuma medida de controle ou tratamento, não existindo dentro da empresa a figura de um responsável pelo meio ambiente.

Porém, com o crescimento e a diversificação das atividades produtivas e o conseqüente aumento da geração de resíduos, os órgãos ambientais passaram a solicitar das empresas o Licenciamento Ambiental com conseqüente controle e tratamento de suas emissões atmosféricas, resíduos sólidos e efluentes líquidos. Assim, a figura de um responsável pela área ambiental dentro da empresa tornou-se indispensável.

Em função de alguns graves acidentes ambientais que ocorreram nas últimas décadas, muitas empresas resolveram melhorar seu desempenho ambiental, reduzindo emissões. Assim, desaparece a figura do responsável único pela área ambiental e tem início uma fase em que todos os trabalhadores da empresa são responsáveis pelo meio ambiente.

Surgiram também as certificações ambientais de empresas pela ISSO 14.001 porém, muitas empresas, mesmo certificadas, começaram a perceber que o custo ambiental, ou seja, o custo para tratar seus resíduos, aumentava na mesma proporção do crescimento da produção.

Dessa forma, as empresas verificaram a necessidade de se trabalhar melhor o seu processo produtivo de forma que pudessem lhes trazer benefícios ambientais e econômicos, transformando suas matérias-primas em pro0dutos e não em resíduos. É necessária a adoção de técnicas e práticas que visem o estabelecimento de um novo conceito de processos produtivo que contemple como prioridade a minimização dos efeitos negativos ao meio ambiente.

Para alcançar este objetivo é preciso que haja uma mudança do paradigma que todo processo produtivo gera necessariamente resíduo. Na verdade, quando assumimos esta postura nos preparamos no máximo, para tratar e;ou dispor estes resíduos.

O desafio atual é adotar as Boas Práticas Ambientais que envolvam as melhores práticas gerenciais com objetivo de reduzir ou eliminar, a geração de resíduos através do controle na fonte, ou seja no local de geração, ou ainda, na linha de processo.

Estas técnicas podem abranger o uso correto de recursos (energia e água), reaproveitamento de materiais que entram no sistema, alterações de matérias-primas;insumos, de tecnologia e até mesmo de procedimentos operacionais. 

A adoção destas técnicas implicam numa cobrança comportamental e no desenvolvimento de uma atitude de percepção de maneira como são gerado0s os resíduos, servindo de base para busca de opções para a eliminação das causas de sua geração.


As Boas Práticas Ambientais caminham no sentido de evitar a geração de passivos e de custos ambientais, reduzir os impactos ambientais, melhoraria da qualidade dos produtos, saúde e a segurança dos trabalhadores e economia financeira.

A Federação das Indústrias do Estado de Minas gerais, através da sua Gerência de Meio Ambiente, em parceria com os sindicatos, vem trabalhando a questão ambiental das empresas por meio de projetos ambientais visando à melhoria de processos bem como o meio ambiente.




Autor: Lílian Mara de Souza

Referências bibliográficas: 

Lílian Mara de Souza – Coordenadora do Núcleo de Produção Mais limpa – Gerência de Meio Ambiente – FIEMG


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »