14/11/2013 às 00h00min - Atualizada em 14/11/2013 às 00h00min

Alimentos fermentados probióticos que pode, e deve incluir na sua alimentação

Os alimentos fermentados não são todos iguais, alguns estimulam o nosso prazer pela comida, outros são mais bem aproveitados nutricionalmente, e outros são uma verdadeira ajuda para a sua saúde e bem estar.  Falamos dos alimentos fermentados ricos em microrganismos probióticos, que são bactérias e fungos benéficas para a nossa saúde. Sim, leu bem, microrganismos benéficos para a nossa saúde. Crescemos a ouvir falar de inúmeras doenças provocadas por diferentes bactérias, fungos e vírus, e muitas delas podem mesmo ser fatais. Mas as bactérias e os fungos não são todos iguais, e alguns podem mesmo ser fundamentais para o nosso organismo. Os microrganismos probióticos são aqueles que, quando consumidos, nos dão vantagens e melhorias na nossa saúde. E os seus efeitos para a saúde são inúmeros e pode ser vistos aqui, e alguns alimentos são ricos nestes probióticos.

Vamos conhecer alguns:

Iogurte - Este é o mais exemplo mais conhecido, e pode inclusive ser feito em casa. Para maior eficácia probiótica sugerimos os iogurtes sem açúcar e sem adoçantes artificias dado os efeitos secundários associados a este aditivo alimentar. Atualmente existem iogurtes "ricos em bífidos” que têm espécies bacterianas com maior capacidade probiótica que as bactérias contidas nos iogurtes mais "tradicionais”. As opções naturais (que podem ser adoçadas com fruta, com canela ou com adoçantes naturais  são algumas sugestões.

Leites fermentados - No mercado surgiram recentemente os chamados leites fermentados, que podemos considerar uma espécie de iogurte liquido. Novamente, é de preferir a opção natural, e evitar as opções açucaradas ou com adoçantes artificiais. Alterne com o consumo do iogurte, ou com outros alimentos probióticos que descrevemos aqui.

Kefir - É também uma espécie de iogurte, mas em vez de ser feito com as bactérias normalmente usadas na elaboração deste, é usado um conjunto de bactérias e fungos a que no seu conjunto se dá o nome de kefir. É também uma opção para ingerir probióticos diariamente, e pode ser comprado ou feito em casa . O kefir mais conhecido é o feito a partir do leite (já existindo kefir de leite de vaca ou de cabra), mas também existe kefir feito a partir de outros alimentos líquidos, como o leite de soja, a água ou leite de coco, ou mesmo kefir de água.

Chucrute ou Sauerkraut - São legumes fermentados, cortados finamente, com um sabor semelhante a pickles e  que podem ser vendidos em lojas biológicas ou ser feitos em casa. Pode ser consumido juntamente com as refeições, e uma colher de sopa por dia é suficiente para beneficiar das vantagens deste alimento, quer na reposição de bactérias benéficas, quer na ingestão de diferentes enzimas digestivas que o vão ajudar na sua digestão.Há diferentes receitas que usam chucrute ou sauerkraut cozinhado. Neste caso, pode não beneficiar das bactérias vivas ou das enzimas ativas, mas beneficia da ingestão de legumes já digeridos, e repletos de diferentes vitaminas, minerais e fibra. A couve branca é o legumes normalmente usado, mas é possível usar outros legumes como a cenoura ou o pepino.

Kimchi - Esta versão oriental do saurekraut é normalmente feito com couve chinesa e diferentes especiarias, criando um sabor bem mais picante. Também existem versões feitas com pepino, alho francês ou outros legumes, e também pode ser adquirido em lojas especializadas.

Kombucha - Esta bebida é uma das alternativas saudáveis aos refrigerantes. O Kombucha é uma bebida fermentada feita a partir do chá preto ou verde, com a adição de bactérias acido lácticas e açúcar. Durante a fermentação, as bactérias multiplicam-se e transformam o açúcar em ácido láctico, que dá à bebida um sabor característico.  Tal como os outros alimentos fermentados probióticos, pode ser comprada ou feita em casa.

Natto, Tempeh e Miso - Estes subprodutos da soja  são também fornecedores de probióticos, mas para garantir a presença de bactérias vivas devem ser adicionados aos alimentos na parte final da confecção com recurso a calor.

Agora que já conhece todos estes alimentos probióticos, passe a inclui-los diariamente e de forma variada na sua alimentação, a sua saúde e o seu intestino agradecem!




Autor: Cristina Sales

Referências bibliográficas: 

EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »