31/01/2013 às 12h28min - Atualizada em 31/01/2013 às 12h28min

Importação e Preço

Em abril de 2012, o preço do leite pago ao produtor estava mais alto do que no mesmo período do ano passado, em Minas gerais. São R$ 0,88 contra R$ 0,80 pagos em 2011. Essa alta se manteve durante os quatro primeiros meses deste ano e um dos motivos é o crescimento do parque industrial mineiro, que, nos últimos anos, demandou mais leite. Hoje, Minas é autossuficiente para processar os 8,4 bilhões de litros de leite que produz anualmente. Segundo o censo da Universidade Federal de Viçosa (UFV), relizado em 2006, o Estado possui 906 estabelecimentos vinculados ao setor lático e, aproximadamente, 700 deles industrializam o produto.

Mas, apesar da alta do preço nos primeiros meses de 2012, agora, época de entressafra, quando é comum os preços ficarem mais elevados, eles se estabilizaram. Mesmo com o início do período de inverno, com poucas chuvas e redução de pastagens, o preço do leite permaneceu o mesmo. O Silemg Notícias convidou a pesquisadora da Embrapa Gado de Leite, Rosângela Zoccal, para responder algumas questões sobre o assunto. 

 



Nesta época do ano, é esperada uma alta do preço do leite, já que a oferta diminui devido à redução das pastagens em função da seca. Mas, até agora o preço do leite continua estável. Por quê? Existem duas razões para que o preço do leite esteja no mesmo patamar. A primeira, é que continuamos com grandes importações de produtos lácteos. Em 2010 e 2011, o índice de importação já era elevado, principalmente, de produtos vindos de países do MERCOSUL e, este ano, esse é um dos fatores que segura o preço do leie

Te. Comparando os números, já é possível notar o aumento da importação de leite UHT. Em 2011, foram 273,5 mil quilos, número pequeno perto dos 8,78 milhões de quilos de 2012.

Outra razão que contribui para essa estabilidade é a tendência de redução dos preços internacionais, causada pelas crises financeiras na Europa. O continente é um dos maiores consumidores de leite do mundo e, com renda menor, as pessoas compram menos. A oferta do produto aumentou na Nova Zelândia e Austrália, que aumentaram sua produção. Isso, junto à demanda reduzida, culminou com a baixa de preço internacional. 

O que mais faz o preço do leite variar nessa época do ano? Os piores meses ou a entressafra acontecem, normalmente, entre maio a agosto. É uma época em que o preço do leite costuma subir por causa da seca. Devido ao clima, os pastos ficam reduzidos e isso acaba afetando o mercado regional. Com deficiência na alimentação, os animais reduzem a produção de leite, o que diminui a oferta do produto e aumenta o custo de produção. Com oferta reduzida, a tendência é sempre a alta do preço. No custo de produção de leite, normalmente, a alimentação representa de 75% a 80% do custo total. No âmbito nacional, os níveis de importação têm poder muito maior na alteração do peço do leite. 

E o que determina a variação do preço do leite pago ao produtor? O preço do leite pago ao produtor está diretamente relacionado à chegada, via importação, desse produto barato no Brasil e é exatamente por isso que esse valor não está aumentando. Se há a opção da entrada de leite barato, o mercado prefere pagar menos pelo produto internacional do que pagar mais caro a indústria nacional. Para continuarem competitivos, os produtores devem ter cuidado com a alimentação dos animais. Se é cara, eleva muito o custo de produção. Os produtores devem aprender a lidar com a estabilidade do preço, as dificuldades climáticas e a manutenção d custo de produção. 

Até quanto pode aumentar o preço do leite nesse período? No período de entressafra, o preço do leite pago ao produtor costuma aumentar de 15% a 20%, mas essa variação é diferente em outras regiões do país. Em 2010, chegou a 28% maior na entressafra. O menor preço foi em janeiro (R$ 0,68) e o maior em maio (R$ 0,87). Em 2011, a vriação já foi um pouco menor, 18%. 

Os derivados do leite também ficam mais caros durante a seca? Se a matéria fica mais cara no período de entressafra, os derivados lácteos também. O que observamos, agora, com preços estáveis, é a tendência de os preços nos supermercados ficarem os mesmos. Quando os preços sobem, o campeão da reclamação, por parte dos consumidores, é o leite em si, pasteurizado ou UHT. 

O que esperar desse cenário nos próximos meses? Para o peço do leite voltar a subir depende da quantidade de produtos lácteos que a indústria continuará importando. Se continuar nesse mesmo patamar, nada vai mudar. Se avaliarmos do ponto de vista do consumidor final de produtos lácteos, esse cenário é ótimo. Os preços estão estáveis, o que facilita a compra. Sob o ponto de vista do produtor, a produção fica mais complicada porque se torna mais cara. Mas essa é a lei da oferta e demanda, o produtor tem de aprender a conviver com essa variação.




Autor: Rosângela Zoccal

Referências bibliográficas: 

1. Embrapa Gado de Leite
2. Silemg - Ano XV – Nº 47. Sindicato da Indústria de laticínios do Estado de Minas Gerais


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »