18/11/2012 às 09h33min - Atualizada em 18/11/2012 às 09h33min

Pesquisa avalia uso da cana-de-açúcar na dieta de cabras leiteiras

Um estudo da UNESP de Botucatu/SP, com colaboração do Campus de Jaboticabal/SP, demonstrou que o uso da cana-de-açúcar na alimentação de cabras pode ser tão eficaz quanto à adoção da tradicional silagem de milho. O resultado representa uma alternativa mais barata e ideal para pequenos produtores, que assim podem manter uma produção rentável com menos custos. 

A pesquisa foi realizada pelo zootecnista Gil Ignácio Lara Canizares, como parte do trabalho de Doutorado em Zootecnia (Nutrição e Produção Animal) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, cujo título era: “Parâmetros ruminais e produtivos de cabras alimentadas com cana-de-açúcar e ou silagem de milho”. 

Na pesquisa, que tem caráter inovador, o autor, que atuou sob supervisão do orientador, Prof. Dr. Heraldo César Gonçalves e bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - FAPESP, testou a dieta em animais da fazenda experimental de Botucatu/SP e em diferentes proporções – 100% silagem de milho no volumoso; 33% de cana e 67% de silagem; 67% de cana e 33% de silagem; e 100% de cana-de-açúcar. 

Nos quatro casos não houve variações no volume de produção de leite e nem nos parâmetros de digestibilidade dos nutrientes ou mesmo nos teores de proteínas, lactose, gorduras e sólidos totais do leite de cabras. 

Comumente, a dieta de cabras leiteiras é composta por volumoso e por concentrado, em relações diferentes de acordo com a categoria animal e com o tamanho da produção. A silagem de milho é quase sempre utilizada como volumoso para animais de elevada produção leiteira. O experimento da UNESP usou a cana-de-açúcar in natura picada como substituto da silagem de milho na alimentação de cabras. 

Para o pesquisador, a redução dos custos de produção de caprinos é fundamental para a expansão do setor, pois sem a redução das despesas o pequeno produtor não consegue participar do mercado, fato que joga a atividade para os setores mais capitalizados do agronegócio, sendo que aí o caprino perde importância frente ao predomínio da pecuária leiteira bovina no mercado, pois trata-se do leite mais consumido no Brasil.




Autor: Gil Ignácio Lara Canizares

Referências bibliográficas: 

Revista Cabra & Ovelha - Edição Julho/Agosto de 2012


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »