07/08/2008 às 12h31min - Atualizada em 07/08/2008 às 12h31min

Sorvete - Curiosidades

Informações apontam o grande líder Alexandre, o Grande, (356-323 A/C), como introdutor do sorvete na Europa, trazendo do Oriente, através do império que construiu unindo a Grécia com as culturas orientais, uma mistura de salada de frutas embebida em mel e resfriada em potes de barro guardados no fundo do chão com a neve do inverno.

O gelo também era estocado em profundos poços construídos pelo povo romano, que o utilizava em lojas denominadas Thermophia na antiga Roma, especializadas em vender bebidas geladas no verão e quentes no período de inverno. Atribui-se ao general Quintus Máximus Gurgeo, o preparo da primeira receita de sorvete.

O Imperador Nero, cerca de 1900 anos atrás, mandava seus escravos às montanhas buscarem neve, que era utilizada para o congelamento do mel, polpa de frutas ou sucos. A partir dessa época não são encontradas novas menções ao sorvete.

Mas, em 1292, Marcopolo retornou a Veneza, após suas viagens pela Ásia, trazendo novas e excitantes idéias, dentre elas, o macarrão e uma sobremesa congelada feita à base de leite, provavelmente o precursor do moderno sorvete.

A partir de então, o sorvete se alastrou pôr todo o norte da Itália, tornando-se seu preparo uma sofisticada arte. Quando o monarca Francisco I esteve em campanha na Itália, decidiu levar para seu filho, o Duque de Orleans, uma noiva, Catarina de Médicis. A ela atribui-se a introdução do sorvete na França. A neta de Catarina de Médicis casou-se em 1630 com Carlos I da Inglaterra e segundo a tradição da avó, também introduziu o sorvete entre os ingleses.

Os colonizadores ingleses levaram então o sorvete para os Estados Unidos. Os norte-americanos apreciaram muito o novo alimento e, hoje, os Estados Unidos são o principal produtor e maior consumidor de sorvetes no mundo.

Dois momentos marcaram o desenvolvimento do sorvete nos Estados Unidos e, conseqüentemente, no mundo: o primeiro em 1851, quando o leiteiro chamado Jacob Fussel abre em Baltimore a primeira fábrica de sorvetes, produzindo em maior escala e sendo também seguido pôr outros em Washington, Boston e New York; e o segundo com a invenção, entre 1870 e 1900, da refrigeração mecânica, permitindo a produção de gelo independente do processo natural.

É a partir do século XIX, portanto, que temos a terceira e derradeira fase da história do sorvete, com duas características principais: a popularização do consumo na Europa a partir dos cafés e sorveterias e, de fundamental importância industrial apoiada no processo de refrigeração mecânica, iniciada na Segunda metade do século passado nos Estados Unidos, acompanhando o desenvolvimento do capitalismo. É nesse momento que o sorvete ganha mais espaço na sociedade, passando de um alimento proibido a uma sobremesa comum, presente em nosso cotidiano.

No final do século XIX, em 1879 mais precisamente, nos Estados Unidos, é inventado o Ice Cream Soda, pôr Fred Sanders; o Sundae e a famosa Banana Split em 1890.

Quanto ao aparecimento da casquinha, há duas versões: uma em 1896 na Itália e outra em 1904 nos Estados Unidos. Pelo que temos notícia, o picolé surgiu na Itália no início do século XX. A década de 20 deu grande impulso ao ice milk, ao sherbet, às barras e outras novidades. Os Estados Unidos, como já dissemos, são os maiores consumidores de sorvetes no mundo. É interessante notar que o sorvete tornou-se a sobremesa norte-americana pôr excelência, tendo inclusive sido implantado naquele país, o Dia Nacional do Sorvete, a 14 de julho, sendo também esse mês, considerado o Mês Nacional do Sorvete.

(Texto retirado do Livro - Queijo, um Alimento dos Deuses, de Luiza Carvalhaes Albuquerque)


Autor:

Referências bibliográficas: 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »