07/08/2008 às 10h56min - Atualizada em 07/08/2008 às 10h56min

Qualidade e produtividade

Ah... Que bom que o consumidor tem a oportunidade de poder escolher o melhor produto e serviço para atender suas necessidades de consumo. Seja qual for, ele considera que as empresas como um todo, visam receitas sim, mas querem dar o melhor quanto ao atendimento dessas necessidades, mesmo sabedores de que alguns consumidores estão dispostos a pagar um preço até muito alto, para obter a satisfação total.

Na segmentação de queijos, a busca pela qualidade torna-se muito forte para que se tenha uma melhor apresentação dos produtos e da qualidade dos mesmos, diante do consumidor cada vez mais exigente.

Será que é verdade?

Até que ponto a relação do consumidor e qualidade estão na mente e no coração das empresas, visando a fidelização de seu produto e sua marca?

E como faço para atingir o coração e a mente do meu cliente tendo que ter resultados e ganhos em produtividade, com qualidade?

Essas perguntas estão diretamente ligadas ao ?Poder de Gestão da Qualidade?. Quanto mais atenção dermos aos clientes, mais ressalvas teremos que ter.

O acondicionamento do queijo, à sua apresentação no PDV (ponto de venda), está disponível com qualidade desejada para a comercialização?

A busca de um melhor posicionamento no ranking é notório, principalmente entre os laticínios. Cada qual quer ter mais clientes, mais vendas, mais qualidade e mais ganho de produtividade, com menor custo e uma logística adequada. E como obter tudo isso, sem às vezes entender o mecanismo de consumo daquele que realmente certifica a Qualidade nos produtos e serviços?

Para se ter a qualidade desejada, o parceiro é fundamental. Parceiros que são considerados vitais para o mundo dos negócios. Não adianta termos uma linha de produtos de queijos num determinado PDV, sem ao menos analisarmos o quanto fornecemos produtos para os clientes e se esta relação não tiver a devida preocupação de que este vínculo tem que ser forte e produtivo para os dois. A combinação dos esforços dos laticínios em ter um produto de qualidade é um diferencial, mas o fator ?foco no e do?, torna-se mais viva a necessidade do uso da Conquista, da Satisfação e da Manutenção.

A qualidade e a atenção dispensada ao cliente do meu cliente, é útil nos negócios. Ficamos sabendo qual o tipo de queijo que é consumido, a que momento, qual a quantidade etc. Toda essa informação simplifica o processo da comunicação correta e apresenta uma melhor segurança, eliminam-se as barreiras, surge o consenso na tomada de decisão, pratica-se a revisão das ações, permite que se tenha uma melhor disposição dos queijos nas devidas ilhas, gôndolas e mesas de frios.

A implementação deste processo de Qualidade, está fazendo a diferença quanto em ser competitivo e dominar o mercado de queijo.

Não adianta termos um produto de qualidade sendo mal apresentado em termos reais aos consumidores de queijo e, não se consegue ter um ganho de produtividade sem se ter a devida busca por uma melhor posição dos produtos e a qualidade dos serviços que estarão definindo melhor este produto para consumo. Se não houver disposição para se tratar este fato como sendo um ponto da Qualidade, as empresas de laticínios terão que estudar melhor a relação de consumo de queijos e como poderão ter ganho de produtividade, alavancando suas vendas em prol do e no cliente.

A marca é importante, o produto de qualidade é importante, mas há de se ter um questionamento que possa definir as estratégias em busca de uma qualidade que proverá ganhos de produtividade e que a fabricação de queijos terá um maior grau de liderança, com menores custos, pois o respeito ao consumidor não será só de análise em certificação de qualidade, mas sim, uma preocupação essencial para liderar este segmento.

José Geraldo Nogueira


Autor:

Referências bibliográficas: 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »