31/05/2015 às 12h07min - Atualizada em 31/05/2015 às 12h07min

11ª Semana Nacional dos Alimentos Orgânicos

Com grandes atividades em todo o país, termina hoje, dia 31 de maio, a 11ª Semana Nacional dos Alimentos Orgânicos, com cursos, seminários, debates, feiras, exposição e degustação. O evento ocorreu simultaneamente em 22 unidades da federação. As atividades foram definidas pela Secretaria de Agricultura de cada estado. “A ideia é divulgar ao público urbano os benefícios do alimento orgânico; eles vão muito além da nutrição”, disse o diretor de Desenvolvimento Rural Sustentável, Roberto Bemfica.

A abertura ocorreu neste domingo no Parque da Cidade. As atividades visam destacar os benefícios dos produtos – livres de agrotóxicos e sem causar impacto ao meio ambiente – e conscientizar consumidores, que muitas vezes acham altos os valores cobrados no mercado. Bemfica acrescenta que o produtor deve se comprometer não apenas com a safra, mas também garantir a proteção ao solo, às águas, à biodiversidade e ao respeito social. “Os filhos dos trabalhadores rurais que trabalham na plantação devem estar na escola; os idosos, aposentados; há uma série de responsabilidades em torno desse alimento."

O encerramento das ações foi no Jardim Botânico e marcará também a abertura da Semana Nacional do Meio Ambiente. Segundo o Ministério da Agricultura, a área de orgânicos no Brasil é de aproximadamente 750 mil hectares, contando com mais de 10 mil produtores e aproximadamente 13 mil unidades de produção.

No DF, a Emater registra área cultivada de orgânicos de aproximadamente 775 hectares, sendo 220 propriedades e 600 pessoas envolvidas no processo produtivo. Com relação ao consumo, o órgão destaca que pelo menos 160 mil brasilienses preferem orgânicos em suas mesas.

O Site Ciência do Leite, em parceria com a EPAMIG, através do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, participou deste importante evento com artigos selecionados sobre Leite Orgânico e divulgados com nossos usuários e pessoas interessadas no assunto. 

Leite orgânico é o produto da pecuária leiteira orgânica, que se baseia nas premissas de ser uma exploração economicamente viável, ecologicamente correta e socialmente justa. Nesse tipo de exploração, além de os animais serem criados de forma saudável, sem a utilização de antibióticos, hormônios, vermífugos, promotores de crescimento, estimulantes de apetite, uréia e demais aditivos não autorizados, é necessário que o pecuarista esteja compromissado com a preservação ambiental e proporcione adequadas condições de trabalho aos seus empregados, sempre visando a excelência do produto a ser obtido. 

O leite orgânico difere daquele obtido na pecuária convencional por não conter resíduos químicos de qualquer espécie, possuindo mesmo sabor e valor nutritivo, podendo ser consumido puro, sob a forma de lactoderivados ou incorporado a outros produtos alimentícios. Embora sua produção não seja direcionada a um público específico, seus consumidores são, em geral, bem informados, possuem consciência ecológica e buscam a qualidade dos alimentos. Esse tipo de leite possui valor agregado e, conseqüentemente, custo final mais elevado, restringindo seu consumo diário a uma parcela da população com maior poder aquisitivo. 

Existe uma tendência de mudança deste cenário a partir da disponibilização de tecnologias que irão contribuir para redução no custo de produção, aumento da oferta do produto no mercado e consequentemente redução do preço do leite orgânico nas prateleiras. Leia mais sobre o assunto em diversas reportagens no link ARTIGOS.

Saudações Laticinistas
Equipe Técnica Site Ciência do Leite

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »