01/12/2011 às 13h44min - Atualizada em 01/12/2011 às 13h44min

Aumento da produção do leite mundial

Marco Antonio C. L. Couto e Equipe Ciência do Leite.

Um tema que achamos interessante abordar neste final de ano é o balanço sobre o aumento da produção de leite no mundo e, em particular, no Brasil. Temos visto e ouvido falar sobre o povo que mora no campo e que está vindo para as grandes cidades, e este é um movimento mundial.

Ficamos pensando... Como pode ser e como vai se sustentar o aumento da produção de leite no mundo? Dentro desse cenário, aparece o Brasil, com produção em 2010 de 31.401.000 toneladas, com taxa de crescimento anual de + 4,4%. Em 2010, o Brasil ocupou a posição número 5 no ranking dos maiores países produtores, logo atrás da Rússia com 31.895.000 toneladas. Veja que com este crescimento seremos em muito breve o 4º maior produtor mundial, atrás apenas da China com 35.756.000 toneladas, da Índia com 50.000.000 toneladas e dos EUA com 87.500.000 toneladas anuais.

Um estudo do Dr. Paulo Martins, pesquisador da Embrapa e Professor da UFJF, mostra que o numero de produtores diminuiu 1 em cada 4 produtores de leite em 10 anos, porém, estamos aumentando a produção de leite a cada ano em 4,4%.
Fica claro que é por causa do aumento de produtividade do gado e o aumento de numero de animais de cada produtor, mas a pergunta é até quando isto vai se sustentar.

Os jovens estão saindo do campo para os grandes centros à procura de melhores oportunidades e também de mais estudos, e sendo assim, a população que esta ficando no campo um dia ficará velha e sem capacidade para sustentar este crescimento. Não pensem que isto acontece somente no Brasil, pois, em uma entrevista que o Srº Marcelo Pereira, coordenador do Portal Milkpoint, fez com um grande produtor da Holanda, reflete justamente à este temor. O entrevistado disse que ficou somente ele e a esposa no campo, que os filhos foram embora para estudar e que provavelmente não voltarão. Este cenário só pode ser mudado com a mecanização na produção do leite.

Porém uma informação que é boa e fortalece a produção leiteira é de que “na apresentação de especialistas em diferentes conferências na Assembléia da FEPALE, ocorrida de 15 a 17 de novembro na cidade uruguaia de Punta del Leste, concordaram em projetar um mercado de lácteos global consolidado e crescendo a uma razão de 2,5% anual para os próximos 10 anos", afirmou um comunicado do Centro da Indústria Leiteira (CIL) da Argentina. "Embora a volatilidade tenha sido citada como um fator muito presente também afirmou que os níveis médios de preços se manterão muito superiores aos que se registraram na última crise de 2008".

Portanto, ao mesmo tempo em que temos um cenário favorável para a comercialização de lácteos no mundo ao longo dos anos e mesmo que hoje estamos conseguindo aumentar a produção de leite, existe o temor da produção não se sustentar em longo prazo, o que já acontece em toda Europa onde foi negativo o crescimento na maioria dos países, ao longo dos últimos 10 anos, e lembrando que, atualmente, é o segundo maior continente produtor de leite do mundo.

Saudações laticinistas!

Marco Antonio C. L. Couto e Equipe Ciência do Leite.

 

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »