23/09/2011 às 11h53min - Atualizada em 23/09/2011 às 11h53min

4º Congresso Internacional de Laticínios no Uruguai

Marco Antonio Cruvinel Couto

Foi realizado nos dias 12 e 13 de setembro de 2011 o 4º Congresso Nacional de Laticínios no Uruguai. O Site Ciência do Leite juntamente com a Empresa Ricanata montou uma comissão para participar deste evento importante para o setor lácteo daquele país.

A comissão era composta por Marco Antonio Couto, diretor técnico da Rica Nata/Ciência do leite, Simone Maria de Andrade, diretora administrativa da Ricanata, Pedro Henrique Baptista de Oliveira, pesquisador/professor do Instituto de Laticínios Cândido Tostes/EPAMIG, Luiza Carvalhaes de Albuquerque, Coordenadora de Transferência e Difusão de Tecnologia do Instituto de Laticínios Cândido Tostes/EPAMIG e André Bovolin, formando em técnico em laticínios no ILCT. Foram várias palestras técnicas realizadas por especialistas do Uruguai, Argentina, Brasil e França, todas com temas abordados de relevante importância para a indústria láctea.

Pudemos observar vários pontos positivos do Uruguai, sendo um deles no quesito produção leiteira que esta bem mais avançada que no Brasil. Para se ter uma idéia, 65% do leite que eles produzem é exportado, e olha que o consumo per capita é um dos maiores do mundo com 219 litros de leite/ano, enquanto que no Brasil é de 128 litros de leite/ano. Outro ponto é a qualidade. Claro que não estão satisfeitos com a qualidade ainda, mas se comparada ao Brasil, temos até vergonha de expor nossos padrões. Observamos outras diferenças, que são na questão de produção de doce de leite, concentrados e produtos em pós. O que o Brasil agora está começando a tomar consciência para aprender, eles já usam como regra. 

O reflexo disto tudo sentimos na pele, quando o nosso mercado importa milhões de quilos/ano em leite em pó. Acho importante que tenhamos, neste momento, uma cota de importação do leite deles, mas é como se fosse combater o efeito, sendo que temos que ir à causa, e a causa sabemos que é a baixa produtividade, baixa qualidade, baixo incentivo do governo, e só não são baixos os impostos de produção. De todos os fatores que nos prejudicam, o maior é a baixa produtividade. Nosso produtor rural tem que conscientizar que não dá pra manter vaca com 5 a 10 litros em um plantel. Precisamos ter 20 litros por vaca, o que vai acarretar em diminuição de custos de alimentação, de remédios, de manuseio, de espaço, enfim, uma diminuição significativa dos custos. Não ficar se apegando somente em impostos altos, incentivos do governo e custo alto de insumos. O fato é que a indústria de laticínios avançou em tecnologia e conhecimento muito mais que o campo. O produtor tem que produzir melhor para naturalmente proteger nosso mercado.

Fomos também buscar conhecimento em relação à organização dos técnicos em laticínios. Eles já têm, há mais de 20 anos, uma Associação Nacional de Técnicos em Lecheria (AUTEL), que foi a organizadora do evento. No Brasil, ainda não somos reconhecidos como responsáveis técnicos da indústria de laticínios, e, portanto não temos condições de assinar por elas, muito menos fiscalizá-las. Temos escolas fortes, congressos e eventos fortes, mas não temos organização, assim, não podemos lutar pelos nossos direitos.

Conquistamos ganhos durante o evento, e o ponto máximo foi o convênio firmado entre integrantes das equipes acadêmicas de diferentes centros educativos da America Latina vinculados à cadeia láctea, a fim de promover o intercambio de experiências e fomentar a integração da gestão educativa.

Integraram a reunião:

Engenheiro Pedro Henrique Baptista de Oliveira, professor e pesquisador do Instituto de Laticínios Cândido Tostes/EPAMIG – MG – Brasil.
Sr. Alejandro Chacon Villalobos, docente da Universidad de Costa Rica
Dra. María Cristina Vázquez, docente e investigadora da Universidad de Santander – Colômbia
Dr. Pablo E.A. Rodríguez, Ing. Hernán Allasia, Prof. Alfredo Gadara y la Lic. María Gabriela Dignani da ESIL Escuela Superior de Lechería de Villa María – Cordoba – Argentina
Ing. Agr. Jorge Bermúdez docente e investigador da Facultad de Agronomía – UDELAR – Uruguay
Tec. Lechería Martín Mondelli, secretario de A.U.T.E.L. Asoc. Uruguaya de Técnicos en Lechería de Uruguay
Tec. Lechería Reynaldo Martínez, docente da Escuela Superior de Lechería de Colonia Suiza – CETP - Uruguay, Maestro Roberto Bentancur de la Escuela Superior de Lechería – Colonia Suiza – CETP - Uruguay y el Ing. Agr. Marcelo Cravea Director de la Escuela Superior de Lechería – Colonia Suiza – CETP - Uruguay.

Os representantes dos centros de educação manifestaram em uma carta de intenção os principais objetivos e delimitando os trabalhos a seguir:

1) Expor a realidade de cada uma das instituições, quanto ao nível educativo, seus processos e as ênfases de cada Centro de Educação, incluindo trabalho de investigação, pesquisa e inovação tecnológica.
2) Aprofundar as relações entre instituições com o fim de levantar limitantes, expor fortalezas e debilidades, intercambiar recursos e conhecimentos, para beneficiar com maiores competências conceituais, procedimentos e atitudes a nossos alunos, que lhes permita desenvolver sua tarefa profissional com melhores possibilidades de êxito.
3) Expressar que consideramos de suma importância todo mecanismo de cooperação entre instituições com similares realidades.
4) Nesta reunião contou-se com a presença do Escrivão Luis López, encarregado da Seção de Convênios da Cooperação Internacional da Divisão Jurídica do Conselho de Educação Técnico Profissional (C.E.T.P. – U.T.U.) do Uruguay, quem se referiu em especial a Cooperação Sul-Sul, e quem nos instruiu sobre a necessidade de contatar os organismos encarregados de enviar a cooperação nos respectivos Países, com o fim de efetivar a prática dos objetivos mencionados.

Queremos parabenizar a AUTEL e o Portal Lechero pelo evento realizado e pelo sucesso dos temas abordados. Queremos reafirmar que sempre que for possível estaremos de alguma forma participando e incentivando este evento maravilhoso que foi o 4º Congresso de Laticínios do Uruguai.

Saudações Laticinistas!

Marco Antonio Cruvinel Couto e Equipe Ciência do Leite 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »