05/08/2008 às 13h58min - Atualizada em 05/08/2008 às 13h58min

Raça Anglo-Nubiana

http://ruralcentro.uol.com.br/noticias/raca-anglo-nubiano-representa-caprinos-na-feicorte-2013-70090

Os ingleses levaram alguns caprinos da Dúbia (África), em 1860 e com eles, obtiveram a raça Anglo-Nubiana, cruzada com os caprinos nativos da Inglaterra. E uma raça leiteira, de médio e grande porte. Consta que a cabra MIAMI chegou a produzir até 8,0 Kg em duas ordenhas, na cidade de Araraquara (SP, conforme citação de Honorato de Freitas em seu livro: Criação de Caprinos".

Foi introduzida na Bahia, em 1932 sem obter qualquer sucesso. Mais tarde, em 1938, com Landulfo Alves, em Feira de Santana, viria a solidificar um núcleo de apreciadores.

Foi preconizada para cruzamentos regeneradores com as cabras nativas mas recentemente as estatísticas dos Centros de Pesquisa mostram que a descendência resulta sendo menos eficazes que as ancestrais nativas. 

Tudo indica, portanto, que a Anglo-Nubiana destinar-se aos cruzamentos industriais para carne e leite. 

Conta com valorosos apologistas em todos os Estados nordestinos, evidenciando que terá melhores dias, no futuro. Seus animais de grande porte são, comumentemente, o foco da atenção popular durante as Exposições. Segundo indicações oficiais, a raça precisaria diligenciar um trabalho de seleção em melhoramento leiteiro e de prolificidade, visando otimizar seu cruzamento com as nativas nordestinas.

- Aptidões produtivas:

Uma cabra de aspecto alerta e atraente, parecida com a raça Nubiana, porém, é a mais alta e mais elegante, mais forte, produzindo mais carne e menos leite com uma produção diária de 2 a 4 litros de leite com 6% ou mais de gordura. A prolificidade é quase tão boa como a da Nubiana. 
Os cabritos são grandes, precoces e de carne muito boa. É muito rústica e perfeitamente adaptável em climas tropicais, salvo nas regiões muitos úmidas. Criada nos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Bahia, tem grande preponderância na transmissão de seus caracteres pelos cruzamentos, sendo fácil confundir mestiços Nubiano x Toggeenburg com Nubianos, o que requer cuidados na origem pelos compradores. É uma das raças mais recomendáveis para sua reprodução no Brasil. 

Com a pelagem semelhante à da Nubiana, freqüentemente malhada ou "tartarugada", comum na combinação de pelos pretos, vermelhos e pardos, preferindo-se porém, que esteja livre de qualquer tipo de pelagem Toggenburg. Pêlos curtos, lustrados, de grossura regular e pela frouxa. Estatura de 60 a 70 cm na fêmea e 70 a 90cm no macho com peso mínimo de 55kg na cabra e 75 no bode.

A Cabeça da cabra é mais fina e delicada que a do bode que é sem chifres, bem masculina, com chanfro convexo e depressão em sua ligação, com a fronte e orelhas grandes, pesadas, caídas junto à cabeça. Olhos grandes e brilhantes. O Corpo é bem proporcionado e costado largo e cheio. Costelas bem cinturadas e afastadas. Garupa ampla. No bode, uma tendência para cruzes altas e lombo enselado, o que se deve procurar corrigir. A ossatura e musculatura são mais fortes. Úbere cheio, flexível, com as duas metades iguais não carnudas, profundamente fendido, dependurado, ligado alto atrás, com tetas grandes e bem colocadas. 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »