02/06/2021 às 11h50min - Atualizada em 02/06/2021 às 11h50min

Epamig destaca linhas de pesquisas que contemplam a qualidade do leite e dos derivados

Em 1º. de junho é comemorado o Dia Mundial do Leite. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO/ONU), em 2001, para  incentivar o consumo de lácteos entre a população. No Brasil, o setor laticinista possui papel relevante dos pontos de vista social, econômico e nutricional.

"O país é um dos maiores produtores de leite do mundo e a sua indústria láctea é uma das mais importantes. O estado de Minas Gerais, por suas características de tradição, clima e solo é o maior produtor de leite e possui o maior número de indústrias de laticínios e produtores artesanais", aponta o coordenador do Programa Estadual de Pesquisa (PEP) em Leite e Derivados da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig),  Junio de Paula.

Na Epamig, a produção de lácteos é contemplada desde os cuidados com rebanho até a disponibilização dos produtos derivados para o mercado. O PEP Bovinocultura possui ações para acompanhar a sanidade do rebanho leiteiro e o manejo da ordenha, bem como as boas práticas e os cuidados necessários para  assegurar a qualidade do leite. Já o PEP Leite e Derivados atua na geração e adaptação de conhecimentos científicos e tecnológicos, inovações e difusão de tecnologias, buscando soluções para o fortalecimento e desenvolvimento da cadeia de lácteos do Estado.

No município de Juiz de Fora (MG), a Epamig Instituto de Laticínios Cândido Tostes (Ilct),  tradicional instituição fundada em 1935, atua nas áreas de pesquisa; ensino, com o curso técnico mais tradicional do Brasil e o Mestrado Profissional em Ciência e Tecnologia do Leite e Derivados; e difusão de tecnologias. O Instituto foi responsável pela adaptação das técnicas de produção de queijos europeus como gorgonzola e Morbier, para a indústria nacional, e pelo desenvolvimento e consolidação de novos produtos como o queijo Minas Padrão e as bebidas lácteas, dentre outras inovações, como queijo para enxergar melhor, refrigerante do bem e kefirgerante. Em São João del-Rei está instalado o Centro de Pesquisa e Treinamento em Queijos Artesanais, que pode realizar vários experimentos para aprimorar a qualidade e apresentação dos produtos.

A disponibilização dessas tecnologias dá-se por meio de publicações técnicas e científicas, como por exemplo, a Revista do Ilct (único periódico brasileiro totalmente dedicado ao leite e derivados, criado em 1946), aulas, palestras e eventos de difusão, como o Minas Láctea, que em 2021 será totalmente online.


Minas Láctea 2021, prazo para a submissão de trabalhos encerra-se em 6 de junho
A edição 2021 do Minas Láctea será realizada entre os dias 13 e 15 de julho. Os cinco eventos que tradicionalmente integram a programação terão atividades virtuais. Uma novidade será o Hub Conecta Leite, espaço de inovação que vai reunir empresas, pesquisadores e startups na busca por soluções para a cadeia produtiva do Leite.

O Congresso Nacional de Laticínios e a Semana do Laticinista terão como tema "O Setor Lácteo na era 4.0: desafios e perspectivas". O prazo para a submissão de trabalhos encerra-se no próximo domingo, 6 de junho. Os interessados podem se inscrever no site. "Esta edição é a primeira em que os três melhores trabalhos serão premiados. Consideramos que essa é uma forma de incentivar a pesquisa no país, nesse cenário de pandemia e dificuldades de distanciamento social, uma vez que o nosso evento não aceita trabalhos de revisão de literatura", destaca a coordenadora da Comissão Organizadora dos eventos, Valdeane Cerqueira.

A programação de palestras e cursos da Semana do Laticinista, horários e demais informações podem ser acessadas aqui. 

As exposições de Máquinas, Equipamentos, Embalagens e Insumos para a Indústria Laticinista (Expomaq) e de Produtos Lácteos (Expolac), terão estandes virtuais para a apresentação de maquinários, produtos e tecnologias para o setor. Os interessados em expor já podem fazer contato com o coordenador de Negócios, Antônio Nunes, pelo e-mail antonio.minaslactea@epamig.br

O Concurso Nacional de Produtos Lácteos não contará os tradicionais julgamento e premiação, em função da impossibilidade da realização de atividades presenciais neste momento, atendendo às medidas de distanciamento, necessárias ao controle da pandemia. Como alternativa, os coordenadores e a equipe de jurados vão se reunir em um fórum virtual restrito para o nivelamento de informações e a avaliação de sugestões para as próximas edições do evento.


Fonte: Epamig
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »