16/07/2011 às 10h14min - Atualizada em 16/07/2011 às 10h14min

Estado do Acre promove o fortalecimento da produção leiteira

Governo do Acre

A produção leiteira no Acre cresceu muito nos últimos anos, mas pode crescer ainda mais. Se depender dos incentivos do governo do Estado, esse desenvolvimento se dará em passos largos. R$ 9,9 milhões devem ser investidos no setor nos próximos anos. 

Os recursos são do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que está emprestando R$ 685 milhões para o governo do Estado investir nas áreas de infraestrutura viária e urbana, economia e produção sustentável e desenvolvimento do setor industrial. 

Os recursos devem ser liberados até o mês de setembro. Serão adquiridos 137 tanques para o resfriamento de leite, 50 ordenhadeiras mecânicas e seis unidades de produção artesanal de queijo. Mas o mais importante investimento será feito na aquisição de uma usina de produção de nitrogênio líquido. O nitrogênio líquido é fundamental no processo de inseminação artificial. Ele é utilizado no resfriamento e conservação de óvulos e espermatozoides que são utilizados na produção de matrizes com qualidades mais adequadas para a pecuária de corte ou de leite. 

“Atualmente, é preciso pegar o botijão de nitrogênio vazio e enviar para fora do Estado para reabastecer, pagando um frete bem alto. Outra forma é comprar o produto aqui mesmo nas casas agropecuárias, mas o custo também é grande. Nas duas situações, o custo da inseminação fica muito oneroso para o produtor”, afirma o secretário de Agricultura e Pecuária, Mauro Ribeiro. 

Os tanques de resfriamentos que também estão sendo adquiridos vão possibilitar um leite de maior qualidade, e as ordenhadeiras mecânicas vão reduzir o contato do homem durante o manejo, garantindo um produto com higiene maior. “Essas ordenhadeiras garantem maior higiene e uma grande economia do trabalho na produção leiteira”, informa Ribeiro.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »