01/05/2011 às 07h34min - Atualizada em 01/05/2011 às 07h34min

Governador Marconi quer certificado de zona livre de aftosa sem vacinação até 2014

Governo de Goiás

O modelo de gestão fitossanitária adotado pelo governo de Goiás prevê que até 2014 o Estado seja certificado como zona livre de febre aftosa sem vacinação. A afirmação foi feita pelo governador Marconi Perillo, ao lançar a 1ª etapa da vacinação contra a doença, erradicada há mais de 10 anos.

Acompanhado do secretário de Agricultura, Antônio Flávio de Lima, e do presidente da Agrodefesa, Antenor Nogueira, o governador fez o lançamento simbólico da campanha de vacinação na Fazenda Senzala, do empresário rural Pedro Jardim, localizada no município de Goiás, próximo à Serra Dourada. A meta da Secretaria da Agricultura é vacinar 100% do rebanho bovino do Estado, estimado em 21 milhões de cabeças. Os produtores têm até o próximo dia 31 para realizar a primeira, das duas etapas de vacinação.

Em entrevista à imprensa, na sede da fazenda, logo depois de ter imunizado uma novilha nelore, o governador disse que 2011 será um “divisor de águas” na área da defesa animal. Devido ao alto índice de cobertura vacinal alcançado pelo Estado, informou o governador, o Ministério da Agricultura autorizou que parte do rebanho, dividido por faixa etária, receba apenas uma dose de vacina ao ano, reivindicação dos próprios produtores para reduzir custos e aumentar a classificação da carne goiana no mercado internacional.

Após 16 anos enquadrado no status de zona livre de aftosa com duas vacinações anuais, Goiás caminha para uma vacinação única do rebanho com mais de 24 meses. Esta etapa de maio da campanha antiaftosa será a última em que os produtores terão de vacinar todos os animais. Segundo parecer do Ministério da Agricultura, a partir da campanha de novembro deste ano, a vacinação dupla será apenas para bovinos e bubalinos até 24 meses. Os que, na época, estiverem acima desta idade receberão a dose apenas uma vez por ano.

O governador lembrou que foi no ano 2000, no seu primeiro governo, que Goiás conseguiu a certificação de zona livre de aftosa, com vacinação. A meta desta vez, avalia, é conquistar nova certificação, agora como zona livre da doença, sem a necessidade de imunização do rebanho. Isso, segundo o governador, vai garantir à carne bovina goiana um novo padrão de avaliação no exterior. “A gestão sanitária do rebanho bovino de Goiás fez com que o Estado aumentasse sua credibilidade no mercado internacional”, destacou o governador.

No lançamento da campanha de vacinação antiaftosa, a Faeg doou à Agrodefesa 17 mil doses da vacina para serem distribuídas gratuitamente aos produtores rurais. Todos os anos, a Federação adquire doses de vacinas contra aftosa e as remete, por meio da Agrodefesa, a comunidades carentes e a entidades e instituições de assistência social e de pesquisa.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »