02/03/2011 às 10h23min - Atualizada em 02/03/2011 às 10h23min

Umuarama é referência regional com programa de produção de leite

site: www.oleite.com.br

O número de propriedades cadastradas no Programa de Inseminação Artificial (PIA), mantido pela Prefeitura de Umuarama, aumentou de 198, em 2009, para 206 no ano passado. Nos dois últimos anos, nasceram 2.584 animais (entre machos e fêmeas) de excelente nível, contribuindo para melhorar ainda mais a qualidade zootécnica do rebanho leiteiro municipal. "Hoje, graças ao PIA, Umuarama é referência regional na produção de leite, com ganho na produtividade”, afirma o médico veterinário da Secretaria Municipal da Agricultura, Thiago Fenato.
Com predominância das raças Jersey e Holandesa, o rebanho leiteiro de Umuarama passou a ganhar em qualidade com o Programa de Inseminação Artificial. Mesmo enfrentando resistência dos produtores, avessos ao avanço da tecnologia, o PIA foi mostrando que quando um programa é bem executado os resultados aparecem. "Hoje, muitos produtores que abandonaram o PIA ou que não quiseram utilizar o sistema de fertilização estão arrependidos”, diz João Evangelista Firmino, coordenador do grupo de inseminadores do município.
As propriedades que estão cadastradas no programa possuem, em média, de 15 a 20 vacas leiteiras. Elas começam a produzir aos 2 anos e meio. O período produtivo de cada animal varia entre 7 a 8 crias e depois disso é descartado. "Aqui entra, talvez, um dos aspectos mais significativos do PIA”, observa João Firmino. Segundo ele, até pouco tempo, os produtores procuravam vacas nas regiões oeste e sudoeste para repor o rebanho. "Hoje é diferente. Como estamos criando vacas de excelente qualidade, os produtores locais compram aqui mesmo e ainda ganham em produtividade, aumentando a produção do seu rebanho”, garante o inseminador.
A Prefeitura de Umuarama fornece o sêmen gratuitamente aos produtores cadastrados. A Secretaria da Agricultura mantém dez postos de inseminação em diversos pontos do município - localidades onde ficam pessoas responsáveis pelos botijões de sêmen, treinadas para fazer a inseminação e atender todas as propriedades próximas que estão cadastradas no programa.
"Como as doses de sêmen são fornecidas gratuitamente, nós podemos exigir maior comprometimento dos produtores com o programa, ou seja, que cuidem bem e permanentemente do rebanho e das instalações utilizadas na retirada do leite, que se preocupem com a boa alimentação dos animais, pois o uso da tecnologia oferece bons resultados em termos de lucratividade, mas é preciso empenho de todos”, assegura o veterinário do município.
Qualidade
O secretário Antonio Carlos Fávaro, da Agricultura, Meio Ambiente e Turismo, assegura que o sêmen comprado pelo município, através de pregões presenciais, tem boa origem. "Temos procurado adquirir sêmen de touros com pedigree, com maior longevidade e fertilidade, o que garante a melhoria genética do nosso gado de leite”, diz o secretário. 
Atualmente, o Programa de Inseminação Artificial garante um índice de fertilização de 60% (a cada mil vacas inseminadas, nascem seiscentos bezerros), o que é considerado bom pelos profissionais da área.
Para o prefeito Moacir Silva, que acompanha com interesse a evolução do PIA em Umuarama, o trabalho realizado é satisfatório. Ele espera que mais proprietários rurais se inscrevam. "É uma opção de renda para as pequenas e médias propriedades rurais bastante interessante, ainda mais se considerarmos que o nosso rebanho leiteiro vem ganhando em qualidade, produção e produtividade a cada ano que passa”, conclui.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »