21/11/2010 às 13h07min - Atualizada em 21/11/2010 às 13h07min

Produtoras da Cotrijal aprendem a fazer derivados de leite

Cotrijal

Um grupo de produtoras ligadas à Cotrijal e à Emater teve a oportunidade de aprender a pasteurizar o leite e transformá-lo em vários produtos. Elas participaram do curso sobre processamento artesanal de leite, no Centro de Treinamentos de Agricultores do Alto Jacuí (Cetaj), localizado dentro do Parque da Expodireto Cotrijal, em Não-Me-Toque.

O curso envolveu orientações sobre a obtenção higiênica do leite (higiene, micro-organismos e sanidade), boas práticas na fabricação de laticínios, composição e propriedades do leite, pasteurização e práticas dos processos de fabricação. As alunas também aprenderam a fazer os queijos mussarela, colonial, minas e de ricota; iogurtes; bebidas lácteas; doce de leite e pão de soro.

No encerramento, o gerente regional da Emater/RS-Ascar, Oriberto Adami, ressaltou que o Cetaj vem sendo muito bem aproveitado, mesmo funcionando de uma forma diferente que os demais centros existentes no Estado, onde os participantes dos cursos permanecem também durante à noite. "Os cursos na área de alimentação têm grande aceitação entre os produtores da Cotrijal e da Emater, o que demonstra a importância deste local", disse, parabenizando as participantes.

O encerramento aconteceu na tarde de sexta-feira

Segundo o gerente de Desenvolvimento Cooperativista da Cotrijal, Enio Schroeder, a parceria com a Emater é essencial para possibilitar a realização dos cursos. A intenção é estender a oportunidade de aprendizado a produtores de unidades da Cotrijal que se situam em pontos mais distantes do Cetaj também, a exemplo do que já aconteceu neste ano com um grupo de Igrejinha. "Vamos, em 2011, formar grupos nessas unidades para facilitar o acesso dos produtores aos cursos", afirmou.

O curso sobre processamento artesanal de leite foi ministrado pelas extensionistas da Emater/RS-Ascar Ana Maria Knoff (Victor Graeff), Carmen Savoldi (Lagoa dos Três Cantos), Rosane Treviso (Ernestina) e pelo engenheiro agrônomo Clari Pierezan Pereira (Tapera).


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »