21/11/2010 às 12h59min - Atualizada em 21/11/2010 às 12h59min

Baianos vão à Nova Zelândia na busca de investimentos para a pecuária leiteira

Seagri/BA

A revolução que os neozelandeses estão fazendo na pecuária leiteira no município baiano de Jaborandi, na Fazenda Leitissímo, com o sistema de produção a pasto em piquetes irrigados, pode transformar a região Oeste da Bahia numa das maiores bacias leiteiras do País e mudar a realidade do Estado neste setor. 

Segundo informa o secretário estadual da Agricultura, engenheiro agrônomo Eduardo Salles, a Bahia possui o terceiro rebanho leiteiro do País, mas ocupa a 23ª posição no ranking de produção por vaca ordenhada. A produção anual é de 950 milhões de litros de leite, mas consome 1,6 bilhão, o que representa o déficit de 650 milhões de litros. 

“Nosso desafio é mudar esta situação, aumentando a produtividade do leite no Estado, tornando-o autosuficiente”, declara. É com esse pensamento e com o objetivo de atrair novos investidores para a pecuária de leite que ele embarcou para Nova Zelândia, acompanhado por lideranças da pecuária baiana. Da comitiva também participam prefeitos de municípios da região Oeste e proprietários de laticínios.

Acompanhando o governador Jaques Wagner, o secretário participa de encontros promovidos pela embaixada brasileira e pelo presidente da Fazenda Leitíssimo com empresários neozelandeses. 

Salles vai proferir palestra sobre as potencialidades da agropecuária baiana e as oportunidades de investimentos, focando no segmento leiteiro e na ovinocultura, áreas onde os neozelandeses são especialistas e se destacam mundialmente, no tocante a qualidade e produtividade. “Nós temos as condições ideais de solo e clima. Precisamos muito do now how deles para desenvolver a pecuária no nosso Estado”

O secretário informou ainda que, em parceria com diversas secretárias do Estado, a Seagri está elaborando um planejamento estratégico para a pecuária de leite para os próximos quatro anos. Ele disse que a Câmara Setorial do Leite recebeu da Federação da Agricultura do Estado da Bahia, Faeb, o projeto “Caminhos do Leite” e o encaminhou ao governo. O projeto está sendo ampliado e ajustado e deverá ser lançado durante a Fenagro. “É o primeiro passo para mudar a realidade do leite no nosso Estado”, afirmou o secretário.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »