26/09/2010 às 09h19min - Atualizada em 26/09/2010 às 09h19min

Evento nacional promovido pela Udesc reuniu especialistas para discutir qualidade do leite

Governo de Santa Catarina

Com o tema “Qualidade que gera lucros”, o 4º Congresso Brasileiro de Qualidade do Leite, reuniu cerca de mil participantes entre médicos veterinários, zootecnistas, engenheiros de alimentos, nutricionistas, industriais, estudantes e profissionais das mais diversas áreas do Brasil e de outros países. 

Entre os assuntos discutidos estão leite – produção com qualidade; leite – alimento para a humanidade; leite – qualidade que gera lucros. O evento, que acontece no CentroSul, em Florianópolis, foi promovido pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), em parceria com o Conselho Brasileiro de Qualidade do Leite (CBQL). 

De acordo com o vice-reitor da Udesc, Antonio Heronaldo de Souza, este é mais um grande evento para comemorar os 45 anos da Udesc. “O mês de setembro está sendo especial para a universidade dos catarinenses, pois está reunindo vários eventos com o I CICPG, a Semana Ousada de Artes, o 28º Seurs, a Semana da Engenharia de Alimentos, o Congresso Brasileiro do Leite e a Semana das Engenharias, em Joinville, entre outros”, destacou.

Durante a abertura do congresso, o presidente do Conselho Brasileiro de Qualidade do Leite, Marcos Veiga dos Santos, informou que o Brasil é o sexto maior produtor de leite, mas a baixa qualidade do produto compromete as exportações, já que não atinge os padrões exigidos por países europeus e pelos Estados Unidos. 

Segundo o professor da Udesc e presidente do Congresso, Adil Vaz, o Brasil hoje não exporta leite, produz apenas para o mercado interno. "Isto porque nosso produto ainda apresenta contagem bacteriana acima do exigido pelos países desenvolvidos. O nosso maior problema é com relação às técnicas de ordenha, que em geral são bem precárias, e dificuldades de refrigeração. Os produtores brasileiros precisam de treinamento. O setor precisa se profissionalizar. O alto índice de bactérias no leite pode alterar o seu sabor”, informou.

Para o secretário de Estado da Agricultura, Enori Barbieri - que representou o governador na abertura do congresso, o Estado está cada vez mais preocupado com a qualidade dos produtos catarinenses, prova disso são as medidas para erradicar a febre aftosa. “Não há outro caminho para ganhar novos mercados, devemos priorizar a qualidade; não só para exportação, mas também para o mercado interno”, disse. 

Barbieri também ressaltou os esforços da Secretaria da Agricultura e das empresas vinculadas, Epagri e Cidasc, para atender os produtores rurais. “Espero que esse evento se traduza em realidade para oferecer ao produtor mais conforto, tecnologia e remuneração”, conclui.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »