10/08/2015 às 16h27min - Atualizada em 10/08/2015 às 16h27min

Minas Gerais: queijo do Cerrado tem mais três certificados

Governo de Minas Gerais
Minas Gerais: queijo do Cerrado tem mais três certificados pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) A valorização da marca Queijo Artesanal do Cerrado passa pela criação de uma associação regional

Patrocínio/MG - O município de Patrocínio, no Alto Paranaíba, teve suas primeiras três queijarias certificadas pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) neste mês. Agora, com o selo, os produtores estão habilitados a comercializar o queijo artesanal, de acordo com a Lei Estadual 14.185 de 2002, que regulamenta a fabricação do queijo Minas no Estado, em sua forma artesanal, garantindo a segurança alimentar dos produtos com suas características regionais.

Os três produtores de Queijo Minas Artesanal do Cerrado a conseguir as certificações em Patrocínio foram Lázaro Francisco dos Reis, Waldemar Carneiro da Silva e Célia Márcia de Paula. Todos são atendidos pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), dentro do Programa de Queijo Minas Artesanal. Eles comercializam o queijo nas feiras do produtor ou feiras livres, montadas nos bairros do município, de terça-feira a sábado.

Além da Emater-MG, os produtores contam com o apoio do IMA e da Secretaria Municipal de Agricultura e Vigilância Sanitária para se adequarem à legislação estadual. Outras cinco propriedades rurais do município estão no processo de certificação. "Estas certificações na região vêm consolidar o trabalho de muitos profissionais da Emater-MG e parceiros, definindo o Cerrado como grande produtor de queijo artesanal em Minas", comemora o gerente regional da Emater-MG em Patos de Minas, Sérgio Glicério Martins.

Marketing regional

Além da busca pela certificação no IMA, os produtores da região ainda realizam um forte trabalho de marketing para aumentar a valorização do Queijo Artesanal do Cerrado, explica Sérgio Glicério. "O objetivo é fazer com que o queijo produzido na região seja tão reconhecido quanto o Café do Cerrado, hoje valorizado no mundo inteiro, graças à união dos produtores."

A valorização da marca Queijo Artesanal do Cerrado passa pela criação de uma associação regional e pelo pedido, junto ao Instituto Nacional de Proteção Industrial, de indicação geográfica e denominação de origem para o produto (atualmente, há apenas três indicações no Brasil, sendo uma delas a do Café do Cerrado, que congrega 55 municípios). Entre os aspectos observados para caracterizar a região estão a formação do solo, clima, altitude, cobertura vegetal e os sistemas de produção - o chamado "saber-fazer".

No 1º Concurso Estadual de Queijo Minas Artesanal, realizado pela Emater-MG em julho de 2007, um queijo de Patos de Minas, na região do Cerrado, conquistou o primeiro lugar. O produto feito por Ronaldo Pereira da Silva, na queijaria Fazenda Barreiras, é um dos que ostentam o selo de cadastramento no IMA.

Exigências da legislação

De acordo com a Lei 14.185, os produtores do queijo minas artesanal (feito a partir de leite cru, não pasteurizado) têm de obter uma certificação do IMA para comercializar a produção. E, para isso, precisam cumprir uma série de exigências higiênico-sanitárias. São observados os cuidados com a qualidade da água a ser utilizada na produção do queijo, que deve ser potável e clorada, e com a infra-estrutura da queijaria, que deve ser azulejada e limpa, além de ter proteção contra insetos. Também os currais e salas de ordenha devem ser cimentados e ter fonte de água própria para higienização.

Outros dois fatores exigidos são as condições de saúde do rebanho do qual provém o leite usado na produção e as condições de saúde do próprio produtor. "O rebanho deve ser sadio e passar pelos testes oficiais de zoonoses, como brucelose e tuberculose. Além disso, o produtor também deve estar em boas condições de saúde, o que contribui para a eliminação dos riscos de contaminação do queijo durante a produção", explica o coordenador técnico estadual do Programa Queijo Minas Artesanal da Emater-MG, Elmer Ferreira Luiz de Almeida.

O Estado de Minas Gerais tem quatro regiões caracterizadas como produtoras de queijo minas artesanal, conforme estudos históricos, agroecológicos e de condições de solo e clima: Serro, Canastra, Araxá e Cerrado (no Alto Paranaíba).

Estão caracterizados como produtores do Queijo Minas Artesanal do Cerrado os municípios de Patos de Minas, Lagoa Formosa, Presidente Olegário, Lagamar, São Gonçalo do Abaeté, Varjão de Minas, Carmo do Paranaíba, Arapuá, Rio Paranaíba, São Gotardo, Tiros, Matutina, Patrocínio, Guimarânia, Cruzeiro da Fortaleza, Coromandel, Serra do Salitre, Abadia dos Dourados, Campos Altos e Santa Rosa da Serra. Entre as características desse produto, segundo Elmer, está a consistência mais macia, amanteigada, quando atinge um ponto maior de maturação. Entretanto, para melhor aproveitamento de suas características, ele sugere o consumo no ponto de maturação média.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »