12/05/2021 às 09h33min - Atualizada em 12/05/2021 às 09h33min

Evento on-line comemora os 86 anos do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, diz Epamig

Uma edição especial do Bate Tecnológico vai marcar as comemorações pelo aniversário do Instituto de Laticínios Cândido Tostes (Ilct), nesta sexta-feira (14). O evento, com transmissão pelo Canal Oficial da Epamig no YouTube, a partir das 10h, vai receber a presidente da Associação dos ex-alunos e funcionária aposentada pelo Ilct, Luíza Albuquerque. O encontro terá como tema "Instituto de Laticínios Cândido Tostes, 86 anos de histórias contadas por quem sabe". A medição será do professor Nelson Tenchini.

A integração entre pesquisa, ensino e indústria norteia a atuação do Ilct desde sua fundação, em 1935. Primeira escola de laticínios da América Latina, a instituição foi incorporada à Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) em 1974. Além de ser referência na formação de técnicos em Leite e Derivados e na capacitação de profissionais para o setor, o Instituto, localizado no município de Juiz de Fora (MG), possui grandes contribuições para desenvolvimento da indústria laticinista no país.

"Podemos citar, por exemplo, as adaptações de tecnologias de queijos europeus como Gorgonzola, Morbier e outros para nossas condições; os estudos da qualidade do leite no Brasil; o desenvolvimento de novos produtos, como bebidas lácteas e o queijo Minas Padrão e; mais recentemente, o desenvolvimento de produtos probióticos; e os projetos de pesquisa com leite humano, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz", destaca o chefe-geral do Ilct, Sebastião Tavares de Rezende.

As pesquisas realizadas buscam atender demandas de agroindústrias familiares, pequenos, médios e grandes laticínios de Minas Gerais e do Brasil. Dentre as linhas de atuação, estão diversos projetos com queijos Minas Artesanais (QMA), que são de grande importância cultural e socioeconômica. Os estudos sobre embalagem ativa, banco de culturas endógenas, qualidade da água para queijarias artesanais, características e de condições de maturação, dentre outros, atendem diferentes regiões produtoras do Estado.

A busca por produtos mais saudáveis e que agradem ao paladar do consumidor tem sido outro ponto norteador dos trabalhos. Nessa linha podem ser destacados o "Refrigerante do bem", bebida láctea carbonatada e acidificada, fabricada à base de soro de leite e enriquecida com luteína (substância natural, que previne doenças e lesões oculares como a catarata e a degeneração macular), que apresenta elevado poder antioxidante; o kefirgerante, produto fermentado de kefir com potencial probiótico, que aproveita o permeado de ultrafiltração, que é o último soro da indústria de laticínios, normalmente descartado poluindo o meio ambiente, mas que ainda contém vitaminas, sais minerais e lactose; e  a adição da luteína ao queijo prato, em substituição ao corante de urucum.

Difusão de Tecnologias
Em função da pandemia, o Instituto precisou intensificar as ações para a difusão de tecnologias no ambiente digital. Nesse período, as aulas do Curso Técnico em Leite e Derivados foram adaptadas para um Ambiente Virtual de Aprendizagem e houve a criação do Bate Tecnológico que, sempre às sextas-feiras, reúne profissionais da área de lácteos para a discussão de temas importantes para a cadeia produtiva.

A Epamig/Ilct também é responsável pela realização do principal evento laticinista da América Latina, o Minas Láctea, que em 2021 será totalmente online, entre os dias 13 e 15 de julho. Além disso, os professores e pesquisadores do Instituto participam como juízes de concursos de queijos artesanais e palestrantes de eventos em todo o país.

A disponibilização das tecnologias se dá, também, por publicações como cartilhas, circulares técnicas e a revista do Instituto De Laticínios Cândido Tostes, que fornece importante contribuição para o setor lácteo desde 1946.


Fonte: Epamig
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »