30/04/2020 às 22h54min - Atualizada em 30/04/2020 às 22h54min

Forte alta nos preços dos lácteos no atacado, mas incertezas com relação a demanda preocupam o setor

No mercado atacadista, considerando a média de todos os produtos pesquisados pela Scot Consultoria, os preços dos lácteos apresentaram alta de 0,8% na segunda quinzena de março, frente a primeira metade do mês. Na comparação mensal o incremento foi de 1,3%.

A menor disponibilidade de matéria-prima no campo e a “corrida” do mercado varejista para repor seus estoques, que já vinham regulados, devido a pandemia do coronavírus, fizeram os preços subirem.

O leite longa vida (UHT) foi o que teve maior valorização no período. Lembrando que este produto vinha apresentando estabilidade a ligeira queda nos últimos meses. A cotação do UHT teve alta de 7,0% na comparação com a primeira metade do mês e valorização de 9,5% na comparação mensal. 

Foram registradas altas também para o queijo muçarela, queijo parmesão, requeijão e manteiga.

Para abril, os preços dos lácteos poderão se manter estáveis ou apresentar uma certa acomodação, em função da queda na demanda em alguns segmentos, em função da pandemia de coronavírus.

A cadeia produtiva do queijo é uma das mais afetadas, visto que 30,0% da produção nacional de queijos é destinada para restaurantes e food service (dados da Associação Brasileira das Indústrias de Queijos – Abiq).

Fonte:
 Scot Consultoria

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »