15/06/2020 às 18h12min - Atualizada em 15/06/2020 às 18h12min

Quarto mês de alta para o produtor de leite, mas atenção aos reflexos do coronavírus sobre a demanda

Quarto mês de alta nos preços do leite pagos aos produtores. Considerando a média nacional, o incremento foi de 0,9%, em relação ao pagamento anterior.
 

Segundo levantamento da Scot Consultoria, a média ponderada dos dezoito estado pesquisados ficou em R$1,284 por litro, 3,5% acima do registrado no mesmo período do ano passado. Já o valor médio com bonificações por qualidade e volume ficou em R$1,669 por litro.

Apesar da maior concorrência entre os laticínios pela matéria-prima, a demanda em alguns segmentos, como o de queijos, foi prejudicada pela situação atual do país de quarentena, em função da pandemia de coronavírus, e, com isso, algumas indústrias (queijeiros) ofertaram mais leite no mercado spot.

O setor mais prejudicado foi o de food service, que engloba os bares, lanchonetes, restaurantes, hotéis, entre outros estabelecimentos.

Do lado da produção de leite, na média nacional houve recuo de 5,7% em fevereiro, em relação a janeiro deste ano.

Além da curva sazonal de produção (início da entressafra), os custos de produção maiores e o clima adverso, em especial no Sul do país prejudicaram a produção.

Para o pagamento a ser realizado em abril/20, a expectativa é de que o mercado siga firme nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Norte do Brasil, no entanto, destacamos que nas regiões produtoras de queijo, a menor demanda pelas indústrias deste segmento, que sofrem mais com o fechamentos de alguns estabelecimentos comerciais (food service) poderá tirar, em parte, a sustentação do mercado.

O mesmo ocorre no Sul do país, em particular nas regiões de produção de queijo no Rio Grande do Sul.

Fonte: Portal do Agronegócio

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »