23/06/2018 às 08h35min - Atualizada em 23/06/2018 às 08h35min

Plano Mais Leite Mais Renda é lançado em Ourinhos, diz SAA

Produtores rurais, representantes de indústrias e laticínios, técnicos das áreas de extensão rural, defesa agropecuária e pesquisa e autoridades da região se reuniram na última quinta-feira (14) para o lançamento do Plano Mais Leite Mais Renda, no auditório das Faculdades Integradas de Ourinhos (FIO), em Ourinhos. O secretário de Agricultura e Abastecimento, Francisco Sergio Ferreira Jardim, destacou a importância da integração entre todos os elos da cadeia produtiva para ampliar a produção leiteira paulista.

“O Plano Mais Leite Mais Renda foi criado para que o produtor rural possa melhorar a qualidade de sua produção, ter mais produtividade e aumentar sua renda, dentro das orientações do governador Márcio França”, disse. De acordo com o secretário, a ideia é alavancar a produção no Estado, que atualmente é o quarto maior produtor nacional, com Minas Gerais na liderança. “A integração entre o Governo do Estado, municípios e instituições de ensino tem sido fundamental para atrair cada vez mais produtores”, afirmou.

Para o presidente do Sindicato Rural de Ourinhos, Eduardo Luiz Bicudo Ferraro, o Plano Mais Leite Mais Renda é um importante reconhecimento ao produtor de leite, “que trabalha diariamente, inclusive aos finais de semana e feriados, para garantir o alimento às famílias brasileiras. Devemos sempre valorizar o trabalho do homem do campo”, refletiu.

O dirigente da Assessoria Técnica do Gabinete, José Luiz Fontes, iniciou as palestras do evento, afirmando que a participação efetiva dos produtores é o diferencial do Plano, pois permite identificar com clareza os desafios e as oportunidades para elaborar políticas públicas. “Ao fortalecer a produção leiteira, estaremos fortalecendo a agricultura familiar paulista”, disse.

De acordo com Fontes, a cadeia produtiva do leite é completa em São Paulo. “Há um número significativo de produtores, um setor de insumos forte, laticínios e processadores de leite e grande mercado consumidor. Temos entidades de pesquisa, extensão e defesa, sistema de crédito e de fomento. É preciso que haja a coordenação dessa cadeia”, afirmou.

Eliézer Donizete Rodrigues do Amaral, tesoureiro da Associação dos Produtores de Leite de Fartura e Região (Aprefar), vê com bons olhos a ação para viabilizar a atividade ao pequeno produtor. “Este evento orienta, abre uma janela de oportunidades futuras”, afirmou.

Para Amaral, que representou a entidade que conta com 35 produtores rurais associados, é preciso melhorar não só o acesso à informação, mas agilizar os mecanismos de regulamentação e fiscalização para que o pequeno possa industrializar a sua produção”, disse.

O lançamento do Plano Mais Leite Mais Renda contou ainda com uma palestra sobre o “Potencial de Negócios Regionais dos Produtos Lácteos via Políticas Públicas”, com o diretor do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Thiago Bueno Ferraz, e o gerente da Cooperativa de Apicultores e Agricultores Familiares de Araras e Região (Coaaf), Daniel Donizetti Ferreti.

Alternativa para a população que tem alergia a proteínas do leite, o leite A2/A2 pode representar uma nova oportunidade de agregar valor à produção, como mostrou o pesquisador Aníbal Eugênio Vercesi Filho, do Instituto de Zootecnia (IZ) da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta).

O médico veterinário César Krüger, diretor do Centro de Inspeção de Produtos de Origem Animal da Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), forneceu orientações sobre as atualizações e tendências do Serviço de Inspeção em Produtos de Origem Animal (Sisp). A programação do evento incluiu uma atividade prática, com visita ao Departamento de Medicina Veterinária da FIO e demonstração do trabalho de campo.


Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (SAA/SP) 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »