06/04/2010 às 09h21min - Atualizada em 06/04/2010 às 09h21min

Italac arrenda unidade da Parmalat em Santa Helena de Goiás

Faeg

Produtores de leite de Santa Helena de Goiás e região se reuniram na sede do Sindicato Rural, para discutir o arrendamento da planta industrial da Parmalat pela Italac Alimentos. Acompanhada por membros da diretoria e da Comissão de Pecuária de Leite e corpo técnico da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), a reunião levou ao município representantes da Italac. Eles falaram sobre o acordo de arrendamento da unidade e esclareceram como se portarão em relação aos débitos com produtores que a Parmalat possui.

A Italac apresentou um cronograma de pagamento dos débitos. Ele prevê que metade do saldo será pago no próximo dia 26 de abril e os outros 50% restantes em 8 de junho. O cronograma valerá apenas para os produtores que firmarem parceria de fornecimento de matéria-prima à unidade, até o próximo dia 10 de abril. Os representantes da Italac deixaram claro que não estão assumindo as dívidas da Parmalat. Porém, em respeito aos produtores da região, a Italac fechou um acordo que permite que ela repasse os recursos que seriam destinados ao arrendamento para os produtores credores da unidade. Hoje, a dívida deixada pela Parmalat em Goiás gira em torno de R$ 4,2 milhões e afeta aproximadamente 300 produtores de leite.

Acordos
De acordo com Lauro Sampaio, diretor tesoureiro da Faeg, a proposta de parceria para pagamento dos produtores da unidade de Santa Helena pela Italac foi costurada em uma reunião entre as diretorias da Faeg e da empresa, em Goiânia, na última terça-feira (30). Sampaio explica que no fim do ano passado, quando a Parmalat paralisou os pagamentos aos fornecedores de matéria-prima, a Federação travou uma série de negociações com a empresa estabelecendo datas e prazos para pagamento das dívidas com os produtores – os quais não foram integralmente cumpridos.

A partir de então, a entidade passou a buscar alternativas para tirar da crise a cadeia produtiva do leite na região sudoeste do Estado. “Este arrendamento da unidade de Santa Helena pela Italac dá garantias ao produtor de que ele irá receber os débitos antigos e aumenta a concorrência na região, o que pode resultar em melhores preços à matéria-prima”, diz Sampaio. Os presidentes de Sindicatos Rurais dos municípios de Santa Helena de Goiás, Quirinópolis, Caçu, Itarumã e representantes dos Sindicatos de Jataí e Rio Verde, também, participaram da reunião. Eles informarão os produtores de suas regiões sobre a proposta apresentada pela Italac e o prazo de adesão para fornecimento de matéria-prima à unidade.

Dívidas
Para o presidente da Faeg, José Mário Schreiner, a crise com a unidade de Santa Helena ultrapassou o suportável e já havia começado a afetar a estrutura de toda a cadeia produtiva do leite na região sudoeste. “O canal de negociação não estava atingindo os objetivos, então buscamos outras alternativas para a resolução do problema”, explica. Em um período de dois anos, 2008 e 2009, a indústria multinacional de leite e derivados Parmalat atrasou por seis vezes o pagamento a pecuarista de leite goianos. No fim de 2009, produtores de 30 municípios do entorno de Santa Helena de Goiás chegaram a ficar quatro meses sem receber pelo leite fornecido à indústria.

Mobilizados pelos Sindicatos Rurais da região os produtores fizeram protestos em frete à unidade de Santa Helena montando acampamento e distribuindo leite à comunidade. Em 23 de dezembro de 2009 foi realizada uma reunião entre a diretoria da Faeg e representantes da empresa, em que foi firmado um acordo de pagamento da dívida em três parcelas, com prazos de vencimentos em 23 de dezembro de 2009 (parcela de 35% do valor do débito), 23 de janeiro de 2010 (parcela de 32,5%) e 23 de fevereiro de 2010 (parcela de 32,5%). O acordo não foi cumprido. (Texto: Francila Calica - Departamento de Comunicação Integrada do Sistema Faeg/Senar)

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »