06/04/2010 às 09h16min - Atualizada em 06/04/2010 às 09h16min

Minas Leite leva práticas de produção para dez regiões

Seapa/MG

Objetivo é ampliar a adesão de agricultores familiares ao programa.

A adoção de um sistema de gestão técnica adaptado ao agricultor familiar está possibilitando renda e melhoria da qualidade de vida aos produtores assistidos pelo Minas Leite. A constatação é de Rodrigo Pucini Venturin, coordenador do programa pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Ele informa que os pecuaristas mineiros ainda não integrados às novas práticas de produção terão a oportunidade de conhecer os caminhos para o aumento da produtividade e renda com a utilização de recursos das próprias fazendas.

Os produtores terão acesso às informações por intermédio do 2º Circuito Minas Leite, que abrange dez regiões onde estão localizados escritórios da Emater-MG e também municípios polarizados: Almenara (Jequitinhonha), Montes Claros e São Francisco (Norte), Patos de Minas (Alto Paranaíba), Juiz de Fora, Ponte Nova e Cataguases (Zona da Mata), Alfenas (Sul), Teófilo Otoni (Vale do Mucuri), Valadares (Vale do Rio Doce). 

De acordo com Venturin, esse circuito, iniciado em fevereiro, segue o modelo do anterior, que foi realizado em 2009 para apresentar as propostas do Minas Leite aos produtores da região polarizada por Curvelo.“Foi muito boa a repercussão das demonstrações de resultados nas propriedades que já contam com assistência do programa”, observa o coordenador. Ele acrescenta que, nos trinta dias de campo (encontros técnicos) realizados, os extensionistas da Emater-MG deram orientações sobre a gestão da atividade leiteira, manejo, utilização de cana-de-açúcar na alimentação do gado e recuperação de pastagens pelo sistema de Integração Lavoura Pecuária e Floresta (ILPF).

A jornada atual será realizada até dezembro, envolvendo todas as regiões produtoras de leite do Estado. Segundo Venturin, os técnicos da Emater-MG estão enfatizando, nos encontros com os pecuaristas, a necessidade de tornar as propriedades cada vez mais produtivas por meio de práticas de baixo custo e da utilização dos recursos disponíveis nas fazendas. 

Além dos dias de campo serão realizados também seminários e excursões a propriedades leiteiras. “Os extensionistas incluem nas apresentações a recomendação para que os produtores busquem o desenvolvimento sustentável da atividade, que consiste na geração de renda, melhoria da qualidade de vida e preservação do meio ambiente”, diz Venturin.

O coordenador diz que “cada fazenda assistida pelo Minas Leite deve servir de sala de aula para os produtores vizinhos.” A Fazenda Palmeiras, em Córrego Fundo, no Sul de Minas, integra o grupo de propriedades que apresentarão resultados obtidos após a adesão ao Minas Leite. O produtor Paulo Ribeiro, proprietário da fazenda, está conseguindo resultados como o aumento de 6% na produção de leite no período de um ano. Nos cadernos de anotações de Ribeiro está registrada a produção de 61.357 litros no período das águas de 2009/2010, na comparação com os 58.113 alcançados no mesmo período de 2007/2008. Já o consumo de ração teve redução de 26%, ou 2.370 quilos na comparação com os 3.200 quilos registrados no período anterior. 

O modelo de gestão introduzido na Fazenda Palmeira, acompanhado em todos os estágios pelos extensionistas da Emater-MG, possibilitou a redução de R$ 0,54 para cerca de R$ 0,43 no custo operacional de produção do litro de leite em um ano. 

Atividade sustentável
No Sul de Minas, as atividades do circuito integram municípios polarizados por Alfenas, Pouso Alegre, Guaxupé e Passos. Nesta quarta-feira (7), haverá um encontro dos extensionsitas da Emater com os produtores no município de Alterosa. Um dos temas dessa jornada será a adoção do sistema de Integração Lavoura, Pecuária e Floresta (ILPF) como suporte para o desenvolvimento da produção sustentável na agricutura familiar. 

Segundo o coordenador regional da Emater de Alfenas, Marcelo Martins, as jornadas técnicas, demonstrações de propriedades integradas ao programa e outros eventos são parte importante do trabalho para ampliação do Minas Leite no Estado. Ele informa que está programada também a realização de um programa paralelo para o treinamento dos técnicos que dão assistência aos agricultores familiares. “Diversas propriedades da região que já recebem acompanhamento serão mais bem atendidas com extensionistas preparados e o apoio da Secretaria por intermédio do Minas Leite”, completa Martins

O gerente regional da Emater em Curvelo, Milton Flávio Nunes, confirma que o Circuito do Minas Leite tem contribuído para o esclarecimento dos produtores a respeito das ações necessárias ao desenvolvimento de suas atividades. “Estão programadas jornadas em 29 municípios polarizados por Curvelo,” ele acrescenta. Os técnicos da Emater-MG se encontraram em 31 de março com os produtores em Augusto de Lima e fizeram uma exposição sobre a importância do Minas Leite para a modernização e melhoria dos resultados das propriedades da agricultura familiar. Um tema abordado nessa jornada foi o ILPF, sistema que será também apresentado nos encontros com os agricultores familiares das demais regiões, além do assunto predominante, o manejo da ração para aumentar a eficiência reprodutiva de bovinos. 

O município de Ponto dos Volantes, integrante da regional de Almenara, no Vale do Jequitinhonha, também sediou encontros técnicos em março. Para o coordenador do Minas Leite pela Emater-MG, Elmer Ferreira Luiz de Almeida, “a ênfase das jornadas do 2º Circuito é garantir assistência qualificada aos produtores mediante o aprimoramento da gestão dos seus sistemas de produção na pecuária bovina”. 

O Minas Leite dá assistência a 400 fazendas no Estado, deve alcançar 500 propriedades neste ano e dobrar esse número até 2011. Os produtores interessados em aderir ao programa, e que comprovem a sua condição de agricultores familiares, devem procurar as unidades da Emater-MG.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »