12/12/2017 às 13h31min - Atualizada em 12/12/2017 às 13h31min

Jovem no Campo: Alunos visitam empresa de laticínios em Ponte Nova

Os alunos do programa Jovem no Campo sobre Bovinocultura de Leite, desenvolvido pelo Senar Minas em Guaraciaba tiveram a oportunidade de conhecer uma empresa de laticínios em Ponte Nova

De acordo com o instrutor Francisco Assis Lima, que acompanhou a turma, o objetivo da visita foi mostrar aos jovens como o negócio funciona além da porteira e a importância de seguir o que foi ensinado no decorrer do programa, que aborda empreendedorismo, manejo do rebanho, controle sanitário e qualidade do leite.

O grupo foi guiado pelo médico veterinário da empresa, que explicou sobre o funcionamento de cada setor. Os alunos conheceram um pouco mais sobre o processo de recepção, classificação do leite, industrialização, embalagem e transporte para o comércio, além das condutas pessoais e profissionais no ambiente de trabalho.

"Assim que chegamos, eles foram convidados a se identificar através de documentos, receberam crachás e um manual de comportamento no pátio e nos departamentos da empresa. Também foi importante para que eles percebessem a necessidade da qualificação da mão de obra, verificando na indústria o quanto é necessário aplicar as técnicas que ensinamos”, explicou o instrutor.

No local, o grupo presenciou a chegada e lavagem das carretas com o leite, a pesagem, a coleta do leite por compartimento para análise e a descarga mecanizada. Todos conheceram o laboratório de crioscopia, a análise para detectar presença ou não de antibióticos e o procedimento para que o leite fosse classificado e embalado pelo processo UHT.

Em Guaraciaba, o Jovem no Campo está sendo realizado em parceria com o Sindicato de Produtores Rurais de Ponta Nova.

Construindo o futuro

O objetivo do programa, que é dividido em módulos, é oferecer ao jovem a visão empreendedora do agronegócio e contribuir para a inserção dele no mercado de trabalho, além de estimular a sucessão familiar. A capacitação os permite conhecer habilidades e competências necessárias para que possam crescer profissionalmente, podendo substituir os pais ou responsáveis mais à frente. “É o Senar trabalhando no presente para o futuro”, destacou o instrutor. 

Ao longo do programa, os alunos demonstraram estar de olho no futuro e acreditam que o Jovem no Campo é uma forma de seguir firme nessa caminhada. “É uma chance única. É o futuro da gente e é muito bom ter essa ajuda”, destacou a estudante Paloma Souza, de 21 anos, de Guaraciaba.

O pai dela já trabalhou com gado e plantação e foi para a cidade, mas a jovem pensa em assumir um negócio no campo. “Pretendo cursar Zootecnia e trabalhar com alimentação e nutrição de animais. O programa, inclusive, ajuda a abrir a nossa mente para ver se é isso mesmo que a gente quer. E ainda dá para debater e argumentar com outros produtores com as informações que aprendemos, dá para compartilhar”, contou.

Já Kennedy Rezende de Carvalho, de 22 anos, foi atrás de mais conhecimento sobre a área. Ele participa do programa Balde Cheio e já observou importantes resultados. Da mesma forma, espera que o Jovem no Campo o ajude a melhorar ainda mais o negócio. Na propriedade moram o ele, a mãe de 52 e o pai de 50. Todos ajudam e dão conta do trabalho, que agora ganhou mais controle.

“Já fizemos muitas mudanças. Uma delas é passar a anotar tudo. Assim vejo o que está sobrando, o que está dando prejuízo, onde posso investir. Isso ajuda demais. O retorno do leite é difícil, mas com o incentivo do Senar, tenho mais o que aprender. Hoje em dia tudo vai evoluindo, tem que acompanhar, não pode ficar parado”, enfatizou.

Fonte: FAEMG


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »