20/09/2017 às 08h20min - Atualizada em 20/09/2017 às 08h20min

Empresa desenvolve sistema de acompanhamento online da qualidade do leite para a indústria de laticínios

A preocupação com costumes saudáveis, que vem aumentando a cada dia, está alterando hábitos alimentares de muitos brasileiros que procuram garantir uma vida melhor. Mas além desta preocupação com o tipo de alimento consumido, existe a questão da qualidade. O leite, por exemplo, é uma opção que pode contribuir para a saúde de ossos e dentes, graças ao alto teor de cálcio, e é uma boa fonte disponível para incluir este nutriente. Por isso, pode se tornar um aliado de quem pratica exercícios e ser especialmente útil na infância e na adolescência. Mas será que as empresas produtoras de leite e derivados conseguem levar até o consumidor produtos de alta qualidade?

Pensando nesse aspecto como uma oportunidade de mercado, a RAV Tecnologia, empresa cearense de inovação especializada em soluções para dispositivos e plataformas móveis, desenvolveu, com o apoio do Governo do Estado, através da Funcap, o projeto “Qualilácteos – Rede de monitoramento para controle da qualidade do leite”. A iniciativa, que obteve recursos pelo edital Pappe, tem como principal objetivo monitorar, em tempo real, a qualidade do leite.

De acordo com Victor Martins, coordenador do projeto, o sistema, batizado de Qualilácteos, funciona através de uma sonda imersa no leite. Ela realiza medições que são lidas e processadas em um módulo remoto e enviadas via rádio para uma central no escritório da empresa de laticínio.

“Os dados são carregados, salvos via armazenamento na nuvem e ficam disponíveis para monitoramento em tempo real, com a inclusão de alertas que podem ser visualizados ou encaminhados para o celular, para que medidas corretivas sejam tomadas. O processo ajuda na tomada de decisões”, afirma o pesquisador. O Qualilácteos consegue verificar, periodicamente, a acidez e a temperatura do leite. Segundo Victor, o módulo de monitoramento, o software, a plataforma e boa parte do hardware foram desenvolvidos pela RAV.

Durante todo o projeto foram realizados testes com uma empresa parceira, a Lá de Casa Latícinios. De acordo com a RAV, a produtora conta com uma linha de produção com estrutura favorável para as avaliações e que contempla todo o ciclo de processamento do leite. Graças à parceria, foi possível inserir procedimentos de higiene e calibração.

Victor informa que a RAV não pretende vender o produto, devido aos constantes avanços previstos e ao seu valor agregado. A empresa irá alugar os equipamentos e prestar serviço de suporte para manutenção da plataforma. “Isso garantirá que os sistemas estejam sempre atualizados, rodando a última versão”, afirma. Ele ressalta que a diferença do Qualilácteos para outros equipamentos existentes no mercado é o sistema integrado, que gerencia as coletas de dados, armazena em nuvem, monta relatórios e gráficos e pode programar alertas para o celular.

Outra vantagem, segundo Victor, é que o equipamento tem como proposta ser instalado nos tanques de resfriamento, estabelecendo comunicação sem fio com o módulo administrativo. “As opções oferecidas atualmente são de instrumentos fixos, de bancada, sem qualquer tipo de mobilidade ou integração com sistemas que possam produzir dados”, conclui.

Fonte: Comunicação Funcap.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »