12/05/2017 às 11h39min - Atualizada em 12/05/2017 às 11h39min

Rede Leite orienta extensionistas a enxergar além do sistema de produção

Antes mesmo de enxergar os animais e a lavoura é preciso ver o dono, ou seja, o agricultor e sua família. A proposta, aparentemente simples na teoria, começou a ser debatida nesta terça-feira (16), em Ijuí, com extensionistas da Emater/RS-Ascar.

Eles participam do curso Abordagem Sistêmica de Unidades de Produção em um Processo de Pesquisa-desenvolvimento. O curso tem a participação da professora da Universidade de Cruz Alta (Unicruz), Rosane Felix, e pesquisadores da Embrapa, Gustavo Martins da Silva e Vinícius Lampert. À frente da coordenação está a supervisora da microrregião administrativa de Ijuí, Márcia Barboza Breitenbach.

O evento é uma promoção da Rede Leite - Programa em Rede de Pesquisa -desenvolvimento em Sistemas de Produção com Atividade Leiteira no Noroeste do Rio Grande do Sul. "Esperamos que lá na ponta, as famílias possam ter propostas para construir o desenvolvimento", disse o gerente da Emater/RS-Ascar da região administrativa de Ijuí, Carlos Turra.

Olhar sistêmico
Enxergar não apenas as coisas materiais que estão na propriedade do agricultor, mas, sobretudo, algo "imaterial" como, por exemplo, por que ele age desta ou daquela forma é a proposta da abordagem sistêmica. Essa metodologia se baseia na ideia de que existem muitas facetas a serem observadas em uma propriedade rural. Além do sistema de produção (sistemas de cultivo e de criação), existe outro sistema, extremamente complexo que é o sistema social, ou seja, a família.

Extensionistas treinados nos bancos acadêmicos para identificar com prioridade o que acontece com a lavoura ou os animais, normalmente, têm dificuldade para adotar a abordagem sistêmica.

Prática
Para exercitar o "olhar sistêmico", o grupo elaborou um roteiro de perguntas, dirigidas a uma família de agricultores de Ijuí, o jovem Maurício Ketzel e seus pais, Edi e Milton, que moram na localidade de Itaí.

A família Ketzel recebe assistência técnica e social da Emater/RS-Ascar e atualmente participa do Programa Gestão Sustentável da Agricultura Familiar, do Governo do Estado.

Leite no Brasil
De acordo com a Câmara Setorial do Leite e Derivados, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Brasil é um dos maiores produtores de leite do mundo. São aproximadamente 36 bilhões de litros produzidos ao ano.

Para o setor leiteiro, o Governo Federal discute a ampliação dos mercados interno e externo e prevê, para isso, assistência técnica, controle de doenças como brucelose e tuberculose, acesso a crédito, apoio à comercialização e aumento do consumo de lácteos entre os brasileiros. Uma pesquisa apresentada pelo Governo estima que no ano de 2014, cada brasileiro consumiu 181,5 litros de leite.

Rede Leite
Participam da Rede Leite as seguintes instituições: Emater/RS-Ascar, Embrapa, Universidade de Cruz Alta (Unicruz), Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí), Instituto Federal Farroupilha campus Santo Augusto, Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro), Universidade Federal de Santa Maria (Ufsm), Coperfamiliar e Rede Dalacto.


Fonte: Emater/RS 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »