05/04/2017 às 08h12min - Atualizada em 05/04/2017 às 08h12min

Tecnologia do leite é foco de pesquisa estadual liderada pela Universidade Federal do Paraná

O desenvolvimento tecnológico da cadeia produtiva do leite é o objetivo do projeto dos Centros Mesorregionais de Excelência em Tecnologia do Leite.  Em atividade desde 2008, o projeto estadual é coordenado pelo professor Deocy França, do curso de Medicina Veterinária da Universidade Federal do Paraná. A importância das pesquisas está no fato de o Paraná ser o segundo maior produtor de leite do Brasil e o primeiro em qualidade do produto.

Em Curitiba e Região Metropolitana, são realizadas pesquisas de tecnologia e microbiologia do leite, com produtores rurais e indústrias.  O CTL (Centro de Tecnologia do Leite) da Universidade Federal do Paraná tem três laboratórios didáticos (microbiologia  de alimentos, físico químico e  tecnologia do leite e derivados). A universidade dispõe ainda, para o projeto, de três bolsistas de nível superior, de acordo com o projeto de capacitação instituído pela Fundação Araucária. Além disso, a equipe está desenvolvendo dois projetos de pesquisa sobre identificação de bactérias patogênicas em alimentos institucionais e outro no leite e derivados.

Equipamento para recebimento do leite
Agora o projeto dará um novo passo, com a perspectiva da instalação de uma indústria de leite na Fazenda Experimental do Canguiri. As instalações estão prontas e já com maquinário. Como o funcionamento por conta própria não é viável economicamente, a alternativa é alugar as instalações e assim ter matéria-prima para pesquisas e oportunidade de estágio para estudantes. Para a concretização da ação, é preciso finalizar algumas questões burocráticas, explica o professor França, mas a expectativa é que a fábrica esteja funcionando ainda neste semestre.

Divididas por áreas geográficas, participam do Projeto Estadual as instituições Universidade Estadual do Norte Pioneiro (Norte Pioneiro), Universidade Estadual de Londrina (Norte Central), Universidade Estadual de Maringá (Noroeste), Unioeste (Oeste), Universidade Federal Tecnológica do Paraná/ campus Pato Branco e  Iapar (Sudoeste), Unicentro/Guarapuava (Centro-Sul), Universidade Estadual de Ponta Grossa (Centro Oriental) e Ufpr (Metropolitana de Curitiba. Cada uma atua na área de vocação regional, como produção de queijos, nutrição e genética de bovinos, pesquisas sobre pastagens, inspeção sanitária, entre outros. Coordenadores regionais cuidam de cada atividade.

Detalhe do maquinário para produção de queijos
Entre os objetivos do projeto estão: promover a integração dos grupos regionais de pesquisa e motivar sua interação com o público-alvo, usuário e beneficiário; assessorar e acompanhar a organização das ações de extensão e difusão tecnológica e de capacitação dos recursos humanos direcionadas à cadeia produtiva de leite.

Ao longo dos anos, foram produzidos 392 trabalhos científicos (dissertações, teses e artigos) a partir das pesquisas realizadas no âmbito do projeto, nas instituições parceiras. Também foram realizados cursos e treinamentos em processamento e industrialização do leite junto a indústrias de laticínios, visando a melhoria da higiene e qualidade dos produtos. As ações têm apoio da Finep e do CNPq.


Fonte: Assessoria de Comunicação da Universidade Federal do Paraná (Ufpr) 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »