10/08/2016 às 09h53min - Atualizada em 10/08/2016 às 09h53min

Alta do preço do leite reforça renda do campo

Quando o consumidor se assustou com o alto preço do leite nos supermercados, os quase 80 mil agricultores catarinenses que atuam no setor já estavam registrando maior receita.

O preço do litro na propriedade, que era vendido por cerca de R$ 0,90 meses atrás, saltou para R$ 1,60 ou até R$ 1,90, dependendo da qualidade do produto e do contrato que cada um tem com as indústrias. Isso significa aumento de 78% a 100% por litro ou mais.

Segundo o diretor de Agropecuária da Coopercentral Aurora Alimentos, Marcos Antonio Zordan, o leite é a principal fonte de renda da maioria das famílias que atuam na agropecuária em Santa Catarina. Por isso, boa parte conseguiu construir boas residências e adquirir tratores, carros, smartphones e itens de conforto para casa. Mas a orientação da Coopercentral é que invistam mais em tecnologia para a propriedade, porque o leite, a exemplo de outros produtos agrícolas, depende muito da oferta e da procura. Como o consumidor restringiu as compras, os preços caíram nos supermercados e vão reduzir também no campo.

A Aurora tem 6,2 mil associados que atuam na produção de leite e processa cerca de 35 milhões de litros por mês. Em média, cada família fornece 5,2 mil litros por mês e tem receita de R$ 8 mil. Desse total, a metade é custo de produção e a outra metade é resultado líquido.

Acompanhe as publicações de Estela Benetti

O Estado é o quinto maior produtor de leite do país, com oferta de aproximadamente 2,2 bilhões de litros por ano. A maior bacia leiteira fica no Oeste, com mais de 70% da produção.

Fonte: Dc.Clicrbs


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »