03/02/2010 às 16h32min - Atualizada em 03/02/2010 às 16h32min

Lucro de R$ 0,05 por litro desanima produtores de leite

Gazeta do Povo

A queda no preço do litro de leite e a margem de lucro de R$ 0,05 está desanimando produtores de lácteos da região de Campo Mourão, no Centro-Oeste do estado. No início do ciclo, diante de previsão de elevação do consumo interno e aumento nas exportações, eles esperavam margens mais folgadas em 2009.

Por conta das frustrações com o mercado, o produtor Armin Tierling, que produz uma média de 120 litros de leite por dia, gostaria de interromper a produção, mas se vê em um dilema. “Hoje não tenho para quem vender as 16 vacas que tenho. E trocar por banana vai gerar ainda mais prejuízos. Se conseguisse vender os animais já teria abandonado a atitivade por conta do alto custo de produção e lucro insignificante”, reclama.

Já o produtor José Fernando Alves Henriques afirma não confiar em previsões ou estimativas de analistas do setor. Ele acredita que o câmbio descontrolado e a produção estável dos Estados Unidos e Europa são ingredientes que contribuem para as indústrias processadoras baixar, sem critérios, os preços do litro de leite no verão. “É uma política desleal que afeta o produtor e faz despencar o preço do litro na fazenda. Outro fator que colabora para essa queda é o dumping, em época de colheita, por parte do Uruguai e Argentina. Essa prática comercial é responsável pelas grandes promoções em redes de supermercados de um produto com qualidade duvidosa”, argumenta.

Segundo ele, enquanto na Europa a margem das empresas processadoras é de 70%, no Brasil oscila entre 120% e 150%. “É fora dos padrões internacionais. Aqui, as indústrias pagam ao produtor R$0,61 o litro, e o mercado vende o mesmo produto a R$ 1,40 ou R$1,50 o litro. Não vale a pena. É uma atividade que precisa de alto investimento, mas que tem baixa rentabilidade e não tem incentivo do governo. Em Portugal, o governo além de subsidiar toda a produção leiteira também auxilia na exportação”, diz.

Henriques, que produz em média 1.150 litros de leite por dia em sua propriedade em São Lourenço, distrito de Araruna, conta que tem tido um lucro de apenas R$ 0,05 por litro. Ele relata que produzir leite requer alto investimento em animais, rações, vacinas e mão-de-obra especializada. “Já a margem de lucro é mínima. Enquanto o produtor exportar apenas a matéria prima, vai continuar respirando com ajuda de aparelhos.”

Ainda assim, Henriques mantém-se otimista. Ele espera que em fevereiro os preços do leite voltem a subir e ampliem sua margem de lucro para R$ 0,20 por litro. “Os países exportares devem diminuir a produção e com isso voltaremos a respirar aliviados, com margem maior”. Dirceu Portugal
 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »