20/01/2016 às 22h34min - Atualizada em 20/01/2016 às 22h34min

Abertura dos mercados de China e Rússia cria oportunidade para aumento da exportação de lácteos brasileiros

Apesar do cenário positivo, como o aumento da exportação de lácteos em 2014, da elevação dos preços internacionais e do contínuo aumento do dólar, o total exportado de leite e derivados representa menos de 2% de tudo que é produzido no Brasil. Com a recente abertura dos mercados da China e da Rússia, esse quadro tende a melhorar, gerando oportunidade para os produtores de leite que pretendem negociar com esses e outros países. 

Para orientar os interessados em exportar produtos lácteos, o Sistema de Inteligência Setorial do Sebrae produziu um relatório com informações que orientam na compreensão do atual cenário nacional e na identificação dos principais players mundiais do mercado de leite. Com essas referências, os produtores conhecem as oportunidades e tendências do setor e ainda se informam sobre os requisitos exigidos para a venda de produtos ao mercado externo..

A abertura dos dois mercados internacionais, que juntos somam 20% do consumo mundial de leite, irá beneficiar os produtores de leite e derivados brasileiros. Entenda os acordos estabelecidos com cada país e veja como a cadeia láctea brasileira pode tirar proveito desse cenário.

China

China e Brasil vêm ampliando as parcerias comerciais nos últimos anos. Em maio de 2015 foram assinados 35 acordos, que somam mais de US$ 50 bilhões de investimentos do país asiático no Brasil. As áreas beneficiadas são tecnologia, infraestrutura, energia e agricultura. Um outro compromisso foi fechado, mas esse é mais animador à pecuária leiteira – a China aprovou o certificado sanitário internacional para importar derivados do leite brasileiro.

Rússia

O Brasil comercializará pela primeira vez produtos lácteos para a Rússia. O acordo teve início em julho do ano passado, quando foram enviadas 13 plantas industriais brasileiras com interesse de exportar para a Rússia. Em setembro, outras 13 plantas foram encaminhadas e o Brasil obteve a aprovação de todas. As expectativas são de suprir 50% da demanda interna russa. O potencial inicial desse mercado para o Brasil é de US$ 22 milhões por ano.

Orientações para exportar:

  • Os produtos de origem vegetal e animal devem obter o certificado Sanitário/Fitossanitário Internacional;
  • O órgão responsável pela emissão desse certificado é o Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento (Mapa), através do Serviço de Sanidade Vegetal (SSV) e da Divisão de Produtos de Origem Animal (DIPOA);
  • Os produtores que pretendem exportar, devem também buscar no DIPOA, o registro no Serviço de Inspeção Federal (SIF) ou o Título de Estabelecimento Relacionado (ER). As informações referentes a estes processos podem ser encontradas diretamente no site do Mapa;
  • Além do Ministério da Agricultura, Delegacias Federais de Agricultura nos Estados e Secretarias Estaduais de Agricultura também oferecem informações relevantes em relação aos padrões sanitários/fitossanitários que devem ser cumpridos;
  • Alguns países solicitam documentos específicos ou procedimentos especiais, essas informações também podem ser encontras no Mapa;
  • Informações adicionais podem ser buscadas nas unidades estaduais do Sebrae.

Ações Recomendadas pelo SIS/SEBRAE

  • Fique atento as negociações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Há expectativas para o fechamento de mais parcerias internacionais ainda esse ano;
  • Consulte os documentos e procedimentos necessários para autorização de produtos de origem animal. Veja a lista de estabelecimentos nacionais habilitados à expo
  • Além do Certificado Sanitário Internacional, obrigatório para exportação, verifique quais são as outras certificações exigidas para a cadeia do leite. Saiba mais nos Relatórios de Inteligências sobre Selo de Indicação Geográfica e Certificação Sanitária;
  • Fique atento ao Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras. Esses eventos são uma ótima oportunidade para divulgar os produtos brasileiros ao mercado externo e despertar o interesse de diferentes consumidores.
  • Acompanhe os relatórios sobre a cadeia do leite disponibilizados no Sistema de Inteligência Setorial. Eles são uma ótima forma de identificar tendências e acompanhar a movimentação do mercado.

Fonte: Dialetto


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »