22/12/2015 às 11h41min - Atualizada em 22/12/2015 às 11h41min

Preços do leite não retornarão aos níveis de 2013 durante a próxima década, diz União Europeia

Os preços globais das commodities lácteas crescerão somente um pouco nos próximos dez anos, disse a Comissão Europeia, à medida que a produção da Europa continua forte.

“Em 2016, os preços das commodities deverão se recuperar somente um pouco com relação aos baixos valores atuais, porque a oferta mundial deverá continuar crescendo e os estoques vêm se acumulando”.

Em um relatório da Comissão Europeia, os preços globais do leite em pó integral foram previstos para aumentar de 2.174 euros (US$ 2.361) por tonelada em 2015 para 2.489 euros (US$ 2.703) por tonelada em 2016. Os preços foram previstos para aumentar para 2.894 euros (US$ 3.143) por tonelada em 2025, permanecendo longe do pico alcançado em 2013.

“Considerando que leva dois a três meses entre mudanças nos preços das commodities usadas como alimentação animal nos preços do leite cru, o preço do leite na UE não deverá aumentar de forma significativa em 2016, mas deverá aumentar até o final do período projetado”.

Os preços das commodities lácteas aumentaram no final de 2013 e começo de 2014, ajudados pelo aumento sem precedentes nas compras chinesas, e a produção de leite aumentou em resposta.

O relatório prevê que a oferta de leite em UE, Estados Unidos, Nova Zelândia e Austrália aumentou em mais de 1 milhão de toneladas em 2014. A produção da UE obteve um impulso adicional em abril de 2015 com o fim das cotas de produção, o que permitiu que os produtores aumentassem a oferta.

À medida que as importações chinesas caíram, com a demanda desse país suprimida por um estoque de leite em pó acumulado durante o período de grandes compras, bem como de aumento da oferta doméstica, os preços globais caíram.

As sanções russas, implementadas sobre as importações da UE devido à crise da Ucrânia, somaram-se à queda global da demanda.

“O mercado chinês está agora se reequilibrando e espera-se que suas importações de leite em pó aumentem em 3,5% um ano após os estoques terem sido absorvidos”.

O consumo global de lácteos deverá ter um crescimento de 1,9% por ano nos próximos dez anos, comparado com 2,1% na última década.

No cenário pós-cota, o setor de lácteos da UE deverá se tornar cada vez mais eficiente.

Entre 2015 e 2025, o rebanho leiteiro caiu de 23,3 milhões de cabeças para 21,5 milhões de cabeças, mas graças às maiores produções, a produção de leite aumentou de 158,6 milhões de toneladas para 172,2 milhões de toneladas. A a produção deverá aumentar a cada ano até 2025.

A produção de leite deverá aumentar ainda mais severamente, devido ao menor uso nas fazendas.

“A produção não está mais sendo limitada pelas cotas e a capacidade de produção é forte, considerando as condições climáticas e agronômicas muito boas para a produção de leite, a grande capacidade de processamento, a ampla variedade de produtos e o significativo potencial de crescimento da produção”, disse a Comissão.

Os preços dentro da UE deverão ver um crescimento de 23% durante o período de dez anos, para 374 euros (US$ 406,20) a tonelada de gorduras do leite, de 304 euros (US$ 330,18) a tonelada, o que impulsionará a produção.

As exportações de leite em pó da UE, que caíram em 2015, deverão aumentar firmemente no futuro.

As exportações de leite em pó integral aumentarão de 373.000 toneladas em 2015, para 532.000 toneladas em 2025, enquanto as exportações de leite em pó desnatado aumentarão de 690.000 toneladas para 902.000 toneladas.

A UE deverá aumentar sua participação no mercado global de lácteos à medida que a produção no maior exportador, a Nova Zelândia, permanece limitada pela disponibilidade de recursos naturais.

Fonte: OANDA.com


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »