12/12/2015 às 08h37min - Atualizada em 12/12/2015 às 08h37min

Desaquecimento: mercado de lácteos fica estagnado em 2015

Guia Marítimo

Um estudo realizado pelo banco holandês Rabobank estima que o consumo per capita de lácteos deve ficar estagnado em 174 litros neste ano no Brasil e cair para 170,7 litros em 2016. A recuperação, aponta o estudo, deve começar a partir de 2017, passando para uma demanda per capita de 171,16 litros, com a esperada retomada da atividade econômica.

Segundo o estudo, a atual crise econômica no país está impactando a renda real do brasileiro, um fator determinante para o crescimento do consumo desse tipo de produto. Com isso, as vendas de lácteos devem se retrair antes de se recuperar, de forma gradual, entre 2017 e 2020.

O peso da Economia

Andrés Padilla, analista sênior do Rabobank Brasil, que assinou o estudo, destacou ainda o fato de que o crescimento da renda real e da população tem uma correlação de 98% com o avanço do consumo de alguns alimentos, como os lácteos.

Assim, o menor crescimento da população e da renda a partir de 2010 explicam a desaceleração no consumo.

Enquanto a real da renda avançou 3,5% por ano de 2005 a 2010, desacelerou para 2,7% de 2010 a 2014. A população também cresceu menos – o avanço foi de 1,1% ao ano no primeiro período e de 0,9% no segundo período.

Mercado

Vale lembrar que esse ano, em setembro, pela primeira vez o mercado chinês abriu as portas para os produtos lácteos brasileiros. Com isso a exportação de leite e derivados para o país pode ter incremento de cerca US$ 45 mi por ano. A decisão de abertura de mercado para a China pôs fim a uma negociação que se prolongava desde 1996.

Na ocasião a ministra da agricultura, Katia Abreu, disse que com acesso aos mercados russo e chinês, o Brasil passaria a exportar para os dois maiores consumidores de produtos lácteos do mundo.

A China importou no ano passado US$ 6,4 bilhões em lácteos (1,8 milhão de toneladas), o que representa 14% de todas as importações do produto no mundo. Já na Rússia, foram US$ 3,4 bilhões (1,1 milhão de toneladas), o equivalente a 7% do total mundial. As importações mundiais de lácteos somaram 12,5 milhões de toneladas em 2014, sendo que o Brasil participou com apenas 0,7% (83,7 mil toneladas). 

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »