11/06/2008 às 15h08min - Atualizada em 11/06/2008 às 15h08min

Aurora instala primeira fábrica própria de leite longa vida

Gazeta Mercantil

Juliana Wilke


A indústria de produtos lácteos da Coopercentral Aurora, de Chapecó (SC), instalada em Pinhalzinho, município do Oeste catarinense, está pronta e começa a operar em duas semanas. O presidente da cooperativa, Mário Lanznaster, afirma que a planta tem capacidade inicial de processamento de 600 mil litros de leite por dia, da marca Aurolat, que se transformarão metade em leite longa vida e metade em queijo mussarela.

O principal mercado de produtos lácteos da Aurora é o paulista, que representa 60% das vendas, seguido do Sul do País. A produção chegará a dois milhões de litros/dia no final de 2009 quando o projeto estiver totalmente implantado.

O investimento inicial na fábrica é de R$ 80 milhões, com financiamento do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo-Sul (BRDE), e chegará a R$ 160 milhões numa segunda etapa. A receita bruta para a nova fábrica que está prevista para 2008 é de R$ 19,3 milhões ao mês e a área total construída é de 40 mil metros quadrados. Parte da nova unidade será instalada na antiga fábrica de sucos concentrados, atividade da qual a cooperativa se desvinculou no ano passado.

A Coopercentral, tradicional processadora de carnes de aves e suínos, obteve receita bruta de R$ 2,2 bilhões no ano passado, segundo informou.. Entrou no negócio de leite em 2004 com produção terceirizada de queijos, bebidas lácteas e creme de leite em quatro fábricas em Vargeão (SC) (unidade arrendada), queijo mussarela em Guarujá do Sul (SC), no Laticínios Guarujá, leite longa vida em Concórdia (SC), na Batávia e leite em pó em Fazenda Vila Nova (RS), na Nutrilat.

"Com a planta de Pinhalzinho, a maior parte do processo de industrialização do leite será própria. Com isso, além da redução de custos, haverá melhoria significativa na padronização dos produtos", diz Mário Lanznaster. Segundo ele, o contrato com estas empresas vigora durante três anos. "Depois, a produção será 100% própria", afirma.

A opção da Aurora pelo leite deveu-se a grande oferta de matéria-prima na região, de 3,5 milhões de litros por dia, 25% dos quais é produzido dentro do sistema cooperativista. A indústria será abastecida por 14.400 produtores associados a 11 cooperativas filiadas à Aurora. A nova unidade gerou 330 empregos diretos e 1.000 indiretos.

Parceria na embalagem
Na primeira etapa, as máquinas para o processamento do leite representaram 50% do montante investido (R$ 80 milhões), sendo que a sueca Tetra Pak, parceira da Aurora na concepção e desenvolvimento do projeto, entrou com R$ 18 milhões em equipamentos. A multinacional forneceu os mais avançados sistemas de pasteurização e envase, utilizados desde a recepção da matéria-prima até o processamento integrado de leite longa vida e queijos.

"A plataforma de automação da Tetra Pak adotada pela Coopercentral permite total rastreabilidade da produção de leite e garante o cumprimento dos mais rígidos critérios de segurança alimentar", afirma Lanznaster. A unidade de Pinhalzinho possui sistema de captação de água no rio Saudades, com reservatório com 36 milhões de litros para utilização em limpeza, higienização e tratamento que garante os 250 mil litros/hora necessários para o ciclo industrial.

Mix completo
A segunda fase do projeto entrará em operação no final do segundo semestre de 2009, quando serão investidos mais R$ 80 milhões e estará concluído o sistema de produção de leite em pó. Somente para secagem serão utilizados 650 mil litros/dia e 750 mil litros/diade soro. Nessa fase, a recepção diária prevista será de dois milhões de litros. A fase dois atingirá o mix completo de produtos Aurolat, formado por uma linha completa de queijos, leite longa vida, leite em pó e subprodutos (creme de leite, bebidas lácteas, soro em pó etc), e vai absorver o crescimento da bacia leiteira das cooperativas.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »