12/05/2008 às 14h52min - Atualizada em 12/05/2008 às 14h52min

Primeira fábrica exclusiva e integrada para secagem de leite em pó no Brasil foi inaugurada em Minas

Fonte: Rede Comunicação de Resultado

A empresa mineira Laticínios Porto Alegre investiu R$20 milhões na unidade pioneira

O Laticínios Porto Alegre, maior fábrica de queijos de Minas Gerais, inaugurou hoje, dia 8 de maio, sua segunda unidade industrial em Mutum (MG), com investimentos de R$ 20 milhões. A unidade é pioneira no Brasil quanto à secagem do leite em pó e pelo fato de ser integrada, ou seja, de permitir tanto a geração quanto a secagem do produto na mesma planta. 

Estiveram presentes cerca de 350 pessoas, entre representantes do poder público, autoridades da área de laticínios e produtores de leite, incluindo o presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Queijo (ABIQ), Cícero Hegg, e o diretor da Associação Brasileira das Pequenas e Médias Cooperativas e empresas de Laticínios (G100), Luiz Fernando Barbosa.

Na ocasião, o público participou de uma solenidade com depoimentos do prefeito de Mutum, Teófilo Antônio, do deputado federal, Reginaldo Lopes, do presidente do Sindicato das Indústrias de Laticínios de Minas Gerais, Celso Costa Moreira; e do sócio-diretor do Porto Alegre, João Lúcio Barreto Carneiro. Barreto destacou a importância do investimento em soro de leite em pó e as qualidades do produto. 

"Como aqui no Brasil grande parte das empresas que consomem o soro em pó importam o produto, a nossa fábrica tem um papel muito importante nesse cenário. Além de vender para todo o país, nossa empresa tem estrutura também para exportação", explicou. 

Celso Costa Moreira ressaltou o crescimento do Porto Alegre e a responsabilidade social e ambiental da empresa, além de agradecer e parabenizar a indústria pelo investimento. O público também pôde conhecer a nova unidade detalhadamente, por meio de uma palestra e também de visitas guiadas.

Secagem do soro


A nova fábrica vai transformar em pó todo o soro gerado nas duas unidades industriais do Laticínios Porto Alegre, na matriz em Ponte Nova e na filial em Mutum, e também poderá comprar de outras indústrias.

A unidade foi construída em nove meses, em uma área anexa à unidade de fabricação de queijos da Porto Alegre, em Mutum, ocupando 3.000 metros quadrados e utilizando a mais alta tecnologia. A previsão de produção mensal é de 900 toneladas de soro de leite em pó e a fábrica também poderá produzir leite em pó. 

A economia prevista com a nova fábrica é de cerca de R$ 6 milhões/ano, considerando operação com 100% de capacidade. Esses ganhos são decorrentes da melhoria da qualidade do produto final, da redução das perdas durante o processo industrial e da melhor eficiência operacional da nova fábrica em relação àquelas que têm tecnologia mais antiga, usadas atualmente no Brasil para secagem de soro. 

A nova fábrica contribuirá significativamente para a geração de emprego e renda na região. O número de empregados deve dobrar, passando de 70 para 140, e o laticínio vai ampliar a captação de leite em mais 100 mil litros de leite por dia.

Sobre o Laticínios Porto Alegre

A história do Laticínios Porto Alegre começou em 1991 com a inauguração de uma agroindústria para beneficiar o leite produzido na Fazenda Porto Alegre, tradicional produtora de leite da cidade de Rio Doce (MG). Inicialmente, eram produzidas mussarela e manteiga. Logo em seguida, devido à boa aceitação dos produtos, o leite pasteurizado tipo C começou a ser feito. Em 1994, com o mercado pedindo mais remessas e novos produtos, a pequena agroindústria virou empresa e modernizou-se, sendo transferida para a cidade de Ponte Nova (MG), com estrutura mais adequada, tecnologias e equipamentos mais modernos. A partir daí, a empresa pôde lançar novos produtos e aumentar sua capacidade de produção.

Hoje, são processados cerca de 6 milhões de litros de leite/mês em queijos frescos, queijos maturados e requeijão, totalizando cerca de 25 toneladas de produtos lácteos produzidos por dia. O Laticínios Porto Alegre é a maior marca no mercado de Belo Horizonte. O faturamento da empresa cresceu 45% em 2007, enquanto a produção de leite em Minas Gerais cresceu 5% no mesmo período.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »