08/04/2015 às 14h32min - Atualizada em 08/04/2015 às 14h32min

Estímulos à produção de leite precisam incluir metas de desburocratização

Diário do Comércio

Os planos de estímulo à produção de leite desenhados pelo Ministério da Agricultura definem prioridades para a eliminação de distorções geradas pela burocratização dos programas de financiamento já existentes.

Os planos de estímulo à produção de leite desenhados pelo Ministério da Agricultura definem prioridades para a eliminação de distorções geradas pela burocratização dos programas de financiamento já existentes. Também está em estudo a possibilidade de criar uma linha de crédito permanente para retenção de matrizes leiteiras bovinas e bubalinas.


O presidente da Câmara Setorial de Leite e Derivados do Mapa, Rodrigo Sant"Anna Alvim, ressalta que o pecuarista de leite, em tempos de crise, muitas vezes opta pela negociação das matrizes para arcar com os custos da propriedade. Porém, ele está negociando a principal fonte de renda e quando a crise é superada fica com o rebanho comprometido. Com uma linha de crédito exclusiva, o produtor que precisar de capital de giro para passar o período de crise vai conseguir reter o animal.

Ainda segundo Alvim, também está nos planos a maior integração da Rede Brasileira de Laboratórios de Qualidade do Leite. O governo pretende desenvolver, em parceria com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), uma plataforma integrada para análise e interpretação dos dados laboratoriais dos cinco estados participantes. Com isso, será possível compilar informações sobre a qualidade do leite.

O ministério estuda uma forma de harmonizar os parâmetros de qualidade do leite entre os serviços de inspeção federal, estadual e municipal. Os produtores também reivindicam atualização de marcos regulatórios e reestruturação do Programa Nacional de Qualidade do Leite.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »