02/01/2015 às 10h03min - Atualizada em 02/01/2015 às 10h03min

Brasileiros desvendam segredos da produção de leite em fazendas americanas

Portogente

Produtores e técnicos dos estados de Goiás, Minas Gerais e São Paulo participaram da edição 2014 do Tour Técnico de Manejo Leite nos Estados Unidos. O grupo de 15 brasileiros viajou para conhecer fazendas nos estados de Utah e Idaho que estão crescendo rapidamente na atividade leiteira. A programação, também contou com palestras técnicas nas Universidades de Idaho e Utah.

O grupo foi formado por 15 brasileiros, entre clientese técnicos da ABS Pecplan dos estados de Goiás, Minas Gerais e São Paulo. “As viagens técnicas que organizamos são uma representação da filosofia de trabalho do departamento técnico de estar ao lado do cliente e levar a eles o que existe de melhor e mais moderno, sempre baseado em ciência e resultados práticos ligando pessoas ao redor do mundo”, destaca Hélio Rezende, gerente de Ferramentas de Serviços Técnicos Genus ABS.

O principal objetivo do tour foi visitar fazendas com produção de leite em larga escala, que cresceram rapidamente sem perder a eficiência. Entre as propriedades visitadas, a Double A Dairy, que mantém 14 mil vacas holandesas confinadas em freestall (sistema estruturado em galpões climatizados, com camas individuais, que aumentam o conforto para os animais e, consequentemente, a produção). Na Si Ellen Dairy, a comitiva de brasileiros encontrou 12 mil fêmeas das raças Holandesa e Jersey, criadas em dois sistemas freestall e open lot(confinamento sem alojamento).

“As visitas foram importantes para comprovarmos que com um bom gerenciamento e adoção de rotinas é possível produzir muito leite aliado a bons índices reprodutivos, qualidade de leite e alta produtividade”, relata Nathalia Bortoletto, técnica de leite da ABS Pecplan.

No roteiro, também foi visitada a seleção Bettencourt, com 35 mil vacas em lactação, sendo 60% rebanho Jersey/cruzamento 40% rebanho holandês. Na M&M Feed Lot, a comitiva conheceu a criação de bezerras e novilhas, com 22 mil animais jovens. E em Nederlend Dairy, 7500 vacas holandesas confinadas freestall, com média de produção de 38kg/vaca. “Visitamos uma região de grandes fazendas, pois o foco principal era mostrar aos participantes: como crescer”, destaca Hélio Rezende.

O tour aliou a visão prática nas fazendas com o conhecimento científico em duas grandes instituições de ensino americanas. Na Universidade de Idaho, o grupo foi recebido pelos professores Joe Dalton e Richard Norell que abordaram, respectivamente, os temas “Manejo reprodutivo e detecção de cios” e “Instalações e Fertilidade”.

Já na Universidade de Utah, os participantes puderam assistir palestra técnica com o professor Allen Young (USU) sobre Gerenciamento, Rotinas Reprodutivas e Sanitárias. Ainda na Universidade de Utah, os brasileiros viram a alta produtividade de 150 vacas holandesas confinadas, onde são duas ordenhas diárias, e média de 36kg/vaca.

O produtor rural Augusto Araujo Campos Neto, da Fazenda Córrego da Menina (Quartel Geral-MG), ficou impressionado como que viu. ” A viagem foi extremamente proveitosa. Foi importante para ver técnicas de freestall, manejos pré-parto e pós parto que posso aproveitar em minha propriedade. Na área de reprodução, ficou nítida a eficiência e como os americanos são rígidos em relação ao descarte de animais improdutivos”, destaca.

Pela primeira vez, o pecuarista Igor Van Den Broek, da Fazenda Fini (Castro-PR), participou de uma viagem técnica e também comemorou o resultado do tour. “Pude notar que o grau de gerenciamento e profissionalismo dos produtores rurais americanos é muito maior. Levo como lição a necessidade de um gerenciamento mais fino da propriedade”, comenta.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »