29/09/2014 às 10h33min - Atualizada em 29/09/2014 às 10h33min

Empresas do setor leiteiro confirmam bom momento

Folha de Londrina

As empresas que trabalham com genética bovina confirmam que a comercialização de doses de sêmen para o gado leiteiro passaram por crescimento significativo nos últimos anos. De acordo com representantes das empresas, o bom momento de vendas está ligado diretamente à melhor remuneração do setor, que é naturalmente mais tecnificado que o de corte e sempre em busca de melhor produtividade dos animais.

Boom - Em Londrina, a Araucária Genética Bovina, que atua no segmento de inseminação artificial há 23 anos, relata que houve um boom na comercialização de doses nos últimos quatro anos, tanto para pecuária de corte como a de leite. No sistema leiteiro, o salto foi de 3,5 milhões para 5,5 milhões de doses. No primeiro semestre desse ano, a venda de material genético da raça Jersey cresceu 70%, de Holandês, 66%, e de Illawarra, uma raça de origem australiana que se destacou no Paraná, 103%.

Portfólio - O gerente comercial da Araucária, Delmiro Rodrigues, explica que a empresa trabalha com um portfólio de oito raças leiteiras e que, de fato, o crescimento é significativo. "Antes, as áreas produtoras eram limitadas aos estados da Região Sul, além de Minas Gerais. Agora atendemos clientes de outras regiões que têm uma produção leiteira interessante, como Goiás, São Paulo e até Rondônia", elenca.

Perfil diversificado - Na empresa londrinense, segundo Rodrigues, os produtores de leite que buscam genética têm perfil bem diversificado, desde a agricultura familiar até grandes pecuaristas do setor. "A busca por tecnologia no sistema leiteiro é muito maior. A exigência do sistema é diário, o contato com os animais e a produção é constante", complementa.

Tecnologia mais barata - Para o gerente comercial, outro ponto que justifica esse crescimento é a tecnologia que se tornou mais barata, como é o caso da inseminação artificial por tempo fixo (IATF), em que se aplica hormônios nos animais para que o cio ocorra no mesmo dia, o que torna possível inseminar um grande número de vacas em um curto espaço de tempo. "As empresas que fabricam os hormônios baratearam demais essa técnica", finaliza Rodrigues.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »