23/07/2014 às 15h42min - Atualizada em 23/07/2014 às 15h42min

Agricultores de Alto Alegre recebem capacitação para a produção leiteira

Emater/RS

Cerca de 70 agricultores do município de Alto Alegre participaram de uma capacitação sobre produção leiteira. A atividade foi realizada na propriedade do agricultor Nelson Luiz Ludwig e integra a segunda etapa de um programa executado pela Emater/RS-Ascar que visa a qualificação da produção leiteira no Rio Grande do Sul.

Na primeira etapa do programa os agricultores realizam uma viagem técnica para participar da 14ª Expoagro-Afubra, realizada no mês de março em Rio Pardo. Nesta segunda etapa os trabalhos foram coordenados pela equipe do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar de Alto Alegre, em parceria com a Santa Clara.

O programa executado pela Instituição busca fomentar, através de ações como capacitação, assistência técnica e linhas de financiamento para incentivo da produção e melhoria da qualidade do leite produzido por meio de diagnósticos e monitoramento das propriedades para elevar a renda e melhorar a qualidade de vida das famílias beneficiadas, bem como fornecer à população um alimento seguro e saudável.

A engenheira agrônoma da Emater/RS-Ascar, Franciele Nava, ressalta que o público beneficiário é formado por agricultores familiares, quilombolas, assentados da reforma agrária e crédito fundiário, conforme a lei federal n°11.326 de 24 de julho de 2006 e pecuaristas familiares. "Ainda são beneficiados o público em situação de pobreza extrema no meio rural e agricultores que queiram diversificar a produção de sua propriedade com a atividade leiteira", expõe a extensionista.

No município de Alto Alegre, são atendidas pela Emater/RS-Ascar 75 famílias que, no período de três anos, irão receber capacitações em diversos temas relacionados com a atividade leiteira. "Cada etapa priorizamos um assunto referente à produção de leite e, nesta segunda, foi dado enfoque à Qualidade da Silagem e Micotoxinas", ressalta Franciele.

Na oportunidade o Médico Veterinário Martin Frederico Schneider, da Santa Clara, falou sobre a importância da qualidade da silagem para o fornecimento aos animais, destacando que para ter uma silagem de boa qualidade são vários fatores que influenciam como, por exemplo, a escolha de cultivares de milho de boa qualidade, correção de solo, densidade adequada de plantas por hectare, boa adubação na implantação, boa cobertura de solo e chuvas, entre outros. 

Além disso, uma boa condução da lavoura, corte no momento adequado com uma porcentagem de 30 a 35% de matéria seca, um tamanho de partículas entre 15 a 20mm, uma boa compactação, vedação do silo, manejo da retirada e descarte do material deteriorado também são fatores a serem observados pelo produtor.

Ainda foi ressalto ao público presente a importância de descartar o material deteriorado para evitar as micotoxinas, substâncias tóxicas produzidas por fungos que podem ser encontradas na maior parte dos alimentos destinados ao consumo animal, como em concentrados, forragens conservadas (silagens) e pastagens, existentes na silagem de má qualidade.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »