14/06/2014 às 13h40min - Atualizada em 14/06/2014 às 13h40min

Rio Rural melhora a produção de pequenos produtores de leite

Governo do Rio de Janeiro

Em pequenas propriedades rurais, é essencial investir na qualidade da produção, para aumentar a renda familiar. Quem trabalha no segmento da pecuária leiteira, como o produtor Heitor Mazorque, de Itaperuna, no Noroeste Fluminense, tem como desafios melhorar a qualidade do pasto e dos animais, o manejo do gado e a ordenha.

O produtor vive com sua esposa, Dalva, numa propriedade de 14 hectares localizada na microbacia Córrego Campinho/Marambaia e desde 2011 vem sendo apoiado pelo Programa Rio Rural, da secretaria estadual de Agricultura e Pecuária, para o aprimoramento contínuo do sistema de produção. Com assistência técnica e incentivos financeiros não reembolsáveis, ele já comprou equipamentos, melhorou as instalações da propriedade e adotou práticas ambientalmente sustentáveis.

Desde que o programa iniciou os trabalhos na microbacia, o pecuarista ampliou sua produção de aproximadamente 40 litros de leite por dia para 100 litros, em média. Esse resultado foi obtido graças a três projetos implantados com incentivos do Rio Rural. Primeiro, foram instalados um sistema de pastoreio rotacionado - que permite administrar a pastagem de modo mais racional - e uma esterqueira, que produz adubo utilizado para a melhoria do pasto.

- O projeto está sendo ótimo, ajuda muito a aproveitar melhor o capim e isso aumentou muito a produção - conta Heitor.

Este ano, o produtor obteve recursos do Rio Rural para compra de uma ordenhadeira mecânica. Segundo o coordenador de Relações Institucionais do Rio Rural, Ueber Said, que vistoriou a propriedade, o leite, que antes era tirado manualmente, hoje vai diretamente para um latão isolado, por meio de um sistema de tubulações. Isso elimina o risco de contaminação e aumenta a qualidade do produto, que é vendido para um laticínio da região, sempre acima de R$ 1,00 o litro.

Durante a execução dos projetos, o Heitor recebeu assistência do técnico Luiz Gustavo Marques, da Emater-Rio. Animado com os resultados, o produtor adquiriu animais de melhor qualidade e hoje já faz novos planos. Ele pretende implantar em breve um sistema de irrigação do pasto e assim aumentar ainda mais a produtividade das 16 vacas que possui.

Bom para o bolso e para o meio ambiente
As técnicas utilizadas na propriedade de Heitor Mazorque, além de contribuírem para o aumento da renda familiar e da qualidade dos produtos, ajudam a preservar o ambiente. Com a instalação da esterqueira, os dejetos dos animais recebem uma destinação adequada, evitando a contaminação de córregos. O esterco volta sempre para a área de pastagem e para a capineira, incorporando matéria orgânica ao solo.

Já o pastoreio rotacionado evita o acesso de animais às áreas de preservação permanente, como rios e matas ciliares. Depois da instalação do pastoreio, isso deixou de acontecer. O produtor instalou também um bebedouro, abastecido pela água de suas nascentes, que desce por um cano até o local. Além disso, a rotação da pastagem com uso de piquetes possibilita que o capim cresça de forma planejada, evitando a degradação do solo.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »