24/05/2014 às 12h40min - Atualizada em 24/05/2014 às 12h40min

Cotrijal leva soluções para melhorar a atividade leiteira

Cotrijal

A vontade de crescer cada vez mais na atividade leiteira e de melhorar os índices de desempenho do rebanho, com reflexos diretos na rentabilidade do negócio, levou associados da Cotrijal como Dilvo Hasler, de 63 anos, de Não-Me-Toque, a participar do encontro técnico promovido pela cooperativa, em parceria com a MSD Saúde Animal, dentro do programa Maxi-Leite.

Pela parte da manhã, a aula teórica e prática abordou a identificação e soluções para a prevenção de doenças no úbere como a mastite (processo inflamatório da glândula mamária da vaca), assim como a importância da gestão para garantir qualidade, higiene, produtividade e rentabilidade. A atividade teve como cenário a propriedade rural do associado Orlando Inácio Nienow, 55 anos, na localidade de Colônias Saudades. À tarde, novo grupo de produtores participou de atividade semelhante na propriedade do associado José Romeo Kraemer, em Mantiqueira, interior de Não-Me-Toque.

"Dificilmente vamos chegar a 100% na qualidade na produção do leite, mas sem tecnologia e orientação de pessoal especializado não tem como obter bons resultados", reconheceu Hasler. Ele contou que está na atividade há 40 anos, possui 20 vacas e uma produção de 10 mil litros/mês. Dilvo lembra que no início o leite era tirado no "muque" e levado de balde até o resfriador. Hoje a ordenha é toda canalizada.

Para o produtor associado da Cotrijal Orlando Inácio Nienow, a sala de ordenha canalizada facilitou em até 80% o trabalho, que leva em conta a qualidade, sem descuidar da higiene. "Com a gente também planta soja, milho e trigo, a sala de ordenha facilitou muito o nosso trabalho. A ideia é construir, ainda este ano, uma sala de alimentação", disse empolgado. Nienow toca a atividade junto com a esposa e três dos quatro filhos. A produção de leite hoje chega a quase 1,3 mil litros por dia.

Anderson Talamini, 35, de Colônia Saudades, foi outro dos produtores de Não-Me-Toque que acompanhou atento às explicações da médica veterinária da MSD Saúde Animal, Eveline do Carmo. Durante a palestra, ela alertou os produtores de leite para a importância da limpeza e manutenção dos equipamentos que compõem a sala de ordenha para prevenir doenças como a mastite. "A mastite é a doença número um dentro das propriedades leiteiras. Cerca de 80% do seu controle é feito na sala de ordenha", observou. Ela ressaltou ainda a necessidade do uso de luvas e do teste da caneca do fundo preto para diagnosticar possível doença de mastite clínica. Práticas ainda pouco utilizadas nas propriedades. "Prevenção é muito mais barato do que tratamento", reforçou a médica veterinária.

"O que a gente busca, através dos encontros, é melhorar o que se faz na propriedade principalmente em termos de qualidade, agregando mais valor ao produto e, consequentemente, mais renda ao produtor. Hoje muitas das indústrias já estão pagando pela qualidade do leite entregue", destacou o técnico agrícola da Cotrijal, Vilson Weber, que vai organizar e acompanhar as ações do Maxi-Leite em Não-Me-Toque.

Iniciativas 
A atividade leiteira é umas das mais importantes fontes de renda de produtores da Cotrijal. Por isso a cooperativa oferece aos seus cooperados uma infraestrutura completa para o desenvolvimento da sua produção. A cooperativa oferece desde assistência técnica a reuniões e encontros técnicos, sempre pensando na qualidade e retorno em termos de rendimentos ao produtor. A parceria com a MSD Saúde Animal, através do programa Maxi-Leite, é uma dessas propostas da cooperativa, voltadas ao associado e que auxilia nas propriedades de leite. "O Maxi-Leite é um programa desenvolvido geralmente em grandes propriedades, mas que a Cotrijal traz para os seus associados porque leva tecnologia e informação de ponta e de forma prática", justificou Eveline.

Encontros técnicos
Até o mês de novembro serão realizados pelo menos sete encontros técnicos por grupo, com a coordenação do Departamento Veterinário da Cotrijal e a participação dos profissionais da MSD Saúde Animal. Em 2014, além dos dois grupos de Não-Me-Toque, o Maxi-Leite deve atender ainda produtores de Tio Hugo e Santo Antônio do Planalto. Em 2013, o programa beneficiou produtores de Victor Graeff. A ideia da Cotrijal é ampliar iniciativa para atender outros municípios.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »